Eventos correlatos
  • Brasil
  • Symposium

  • Orgulho nacional

    Quando Ana Lúcia Carvalho me convidou para uma degustação dos espumantes Cave Geisse, além da satisfação de provar 4 rótulos de uma só vez, aflorou aquele velho orgulho de saber que lá na minha terra são produzidos espumantes nacionais com qualidade tal que podem encarar de frente os monstros sagrados de Champagne (relembre a reportagem Um Brasileiro entre os Champagnes clicando aqui).

    Na verdade, digamos, meio orgulho, pois aqueles que a maioria dos enófilos considera como os melhores espumantes nacionais são produzidos por um... chileno! Mas a bem da justiça, Mario Geisse já está no Brasil há tantos anos (desde 1976), seus filhos são gaúchos, sua vinícola fica em Bento Gonçalves que ele já deve ter recebido o título de gaúcho honorário! É orgulho integral, mesmo!

    A degustação foi conduzida por um dos filhos de Mario, Daniel Geisse, diretor comercial da empresa, mas que transmite um entusiasmo tal pelos espumantes que mais parece, ele mesmo, o enólogo! Figura cativante, apaixonada, fala tanto que parece que engoliu um rádio de pilha! Ele foi um dos responsáveis por uma noite extraordinária!

    Fomos recebidos com o agradável Espumante Amadeu Rosé Brut, com aromas de morango. Mas a degustação começou mesmo com o Espumante Cave Geisse Nature 2005, aromas florais, com frutas maduras, mel, e na boca excelente acidez, crocante e persistente! Um fantástico vinho!

    Seguiu o Espumante Cave Geisse Brut 2005, com bela perlage e deliciosos aroma de frutas tropicais. Continuamos com o Espumante Cave Geisse Terroir Nature, com perlage fina e duradoura, e aromas florais, de maçã, leveduras, com bastante corpo e bem equilibrado.

    E aí, encerramos a seqüência de espumantes com o inesperado Espumante Cave Geisse Brut 1998, um vinho surpreendentemente fresco como bebê após o banho! Aromas de amêndoas e café, e na boca intenso, complexo e vibrante! Fabuloso!

    E para finalizar, Daniel nos apresentou o projeto El Sueño, com o qual Mario Geisse objetiva produzir vinhos de terroir em diversos países do mundo:

  • um Carmenère em Colchagua, Chile
  • um Malbec na Argentina
  • um Champagne Premier Cru na França
  • um Tempranillo em Rioja, Espanha
  • um Shiraz na Austrália
  • e um Sauvignon Blanc na Nova Zelândia

    Que vidão, não é mesmo? Os projetos do Chile e da Argentina já estão prontos e Mario está, nesse momento, na França, vinificando seu Champagne. Os demais projetos estão em estágios menos adiantados. E para que pudéssemos provar do que se trata o sonho internacional de Mario Geisse, finalizamos a noite com o El Sueño Carmenère 2006, um vinho com muita fruta, conforme o desejo de seu criador.

    Bem, como falei, foi uma noite e tanto, para a qual colaborou, e muito, a competência da equipe da Symposium, capitaneada pelo atencioso José Hodara.

    Oscar Daudt
  • Os vinhos
    Espumante Amadeu Rosé Brut
    Método: Champenoise
    Castas: 50% Merlot, 30% Cabernet Sauvignon, 20% Pinot Noir
    Álcool: 12,5%
    Açúcar: 12 g/l
    Espumante Cave Geisse Nature 2005
    Método: Champenoise
    Castas: 70% Chardonnay, 30% Pinot Noir
    Álcool: 12,5%
    Açúcar: residual
    Espumante Cave Geisse Brut 2005
    Método: Champenoise
    Castas: 70% Chardonnay, 30% Pinot Noir
    Álcool: 12,5%
    Açúcar: 7,5 g/l
    Espumante Cave Geisse Terroir Nature
    Método: Champenoise
    Castas: 62% Chardonnay, 38% Pinot Noir
    Álcool: 12,5%
    Açúcar: residual
    Espumante Cave Geisse Brut 1998
    Método: Champenoise
    Castas: 70% Chardonnay, 30% Pinot Noir
    Álcool: 12,5%
    Açúcar: 6,5 g/l
    El Sueño Carmenère 2006
    Castas: 100% Carmenère
    Álcool: 13,5%
    Açúcar: 2,5 g/l
    Região: Valle de Colchagua
    Envelhecimento: 75% do vinho com 8 meses em barricas de carvalho francês
    A magnífica caixa da Cave Geisse Brut Magnum 1998! Servindo a Magnum
    O condutor da degustação
    O entusiasmo de Daniel Geisse
    A Symposium
    A Symposium é comandada com muita competência e carinho por José Hodara À exemplo dos vinhedos, rosas para guardar os vinhos... Meus estimados Amarones me chamando na Adega
    A adega da Symposium: esmero em qualquer detalhe A loja já tem a venda a deliciosa linha Ysern, das Bodegas Carrau, que eu conheci no Uruguai Em recente pesquisa do EnoEventos, a Symposium foi escolhida por nossos leitores como o melhor bar de vinhos do Rio de Janeiro. Hodara estava em alfa e colocou esses cartazes nas paredes...
    Os participantes
    Ana Lúcia Carvalho, que representa os espumantes da Cave Geisse no Rio de Janeiro João e Isolda Masao Hodara e Marcos, pai e filho
    Eduardo Lopes e Patrícia Abreu Kleber Couto Elvira e Dumith
    Alexandre e Paula Guilherme e Paula Tânia e a cantora Cláudia Holanda não estavam na degustação, mas foram conhecer a Symposium e beber um vinho
    O serviço do vinho foi comandado pelo sommelier Sidney
    Ana Lúcia e Hodara Carlos Palmeri, Hodara, Omar, Kleber, Rafael e João Hanna
    Comentários
    Rodrigo
    www.notasdedegustacao.com.br
    01/10/2008 Realmente um belo espumante:

    Cave Geisse - Brut - Champenoise - 1998
    Pinot Noir e Chardonnay
    Serra Gaúcha
    Brasil
    12%
    Degustado em Julho de 2006
    Temperatura Ambiente: 18ºC
    Temperatura do vinho: 06ºC
    Rolha normal e sem sedimentos

    Visual
    Amarelo dourado, brilho intenso, muito límpido. Perlage intenso com tamanho e persistência média.

    Análise Olfativa - Qualidade muito boa e intenso
    Agradável e amplo.
    Notas defumadas. Toques de café e grãos tostados. Final de abacaxi maduros em calda. Aroma típico desse doce, deixado mais de um dia em geladeira.

    Análise Gustativa - Qualidade muito boa e muito intenso
    Ótima persistência
    Amargor sutil, álcool equilibrado e acidez adequada. Encorpado e perlage elegante. Equilibrado. Evolução muito boa.

    Na boca apresenta café em grãos e frutas secas velhas..

    89 pontos
    Degustador: RM
    André Oscar
    Porto Alegre
    RS
    01/10/2008 Realmente um bom espumante, mas nada além disso, temos no Rio Grande do Sul produtos tão bons, ou me perdoem os Geisse, até melhores.

    Já cansei de pedir Cave Geisse em restaurantes e não poder beber pois o espumante estava velho, passado, com uma coloração exageradamente amarela, e isto só pode ter um motivo, o produto não roda e se não roda é porque não está tão acima da média assim. Não vou citar marcas mas convem sempre experimentarmos alguns outros produtos antes de emitirmos opiniões mais definitivas. Cave Geisse um bom produto e só. E olha que não falei nas importadas que rivalizam de preço com o produto em questão.

    Abraços, André.
    Marcelo Laidens 02/10/2008 Queria colaborar com vcs: o melhor espumante nacional que tomei DON GIOVANNI BRUT CHAMPENOISE 12 meses fermentação é uma maravilha assim como a linha de vinhos exaltando o Tannat e o Cabernet Franc. Quem tiver oportunidade para provar é muito bom.

    E também possuem uma pousada na serra gaúcha localizada em Bento Gonçalves, mais precisamente no distrito de pinto bandeira. É uma maravilha. www.dongiovanni.com.br
    EnoEventos - Oscar Daudt - (21)9636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br