Eventos correlatos
  • Chile
  • Mistral

  • Vinhos e Cócegas

    Eu conheci os vinhos Amayna, da Viña Garcés Silva, no Tour Mistral 2007. Naquele tempo, a linha era composta por não mais do que um Pinot Noir e um Chardonnay. Eram ambos excepcionais e eu pensei com meus botões: "Com dois rótulos apenas, dá prá manter essa qualidade." Mas o almoço oferecido pela Importadora Mistral, com a desculpa de apresentar a nova estrela da linha, o Amayna Syrah, foi harmonizado com todos os 5 rótulos atualmente produzidos. Que beleza! Felizes convidados, pois a qualidade continua surpreendendo!

    No Tour Mistral, os vinhos eram oferecidos pelo simpático e entusiasmado Matias Garcés, que comanda a vinícola da família, mas para o almoço a apresentadora foi a enóloga Cláudia Gómez, com longa experiência profissional em Pouilly, e nós não tivemos nada a perder. Tudo indica que simpatia e entusiasmo são pré-requisitos para trabalhar naquela vinícola. Yoná não cansava de nos prevenir, antes de a convidada chegar: "Ela é igualzinha à Heloísa Perissé!". E a parecença era marcante. Quando eu começava a rir demais, Luciana Plaas até me dava um chute por baixo da mesa prá me lembrar que eu não estava na platéia de Cócegas! Aliás, na foto ao lado, a enóloga é... - imitando o Ancelmo Goes - esqueci!

    Mas o que interessa são os vinhos! Degustamos 2 Sauvignon Blanc: o primeiro Amayna Sauvignon Blanc 2007, sem madeira, que Cláudia insistia em chamar de normal, era persistente, opulento, fresco, com aromas de frutas tropicais e deliciosa mineralidade. O segundo, Amayna Sauvignon Blanc Barrel Fermented 2006, com 12 meses de barrica, será que deveríamos chamar de anormal? Longe disso! Intenso, com muita fruta, discretas notas de madeira, baunilha e manteiga, voluptuoso, com belíssima acidez e interminável persistência. Lalas preferiu o anormal, mas eu me encantei mais com a normalidade! Que, para minha satisfação, ainda é bem mais barato!

    O outro branco da linha, o Amayna Chardonnay 2006, tinha tudo o que um bom Chardonnay oferece e um pouco mais! Muita fruta, com madeira bem integrada, deliciosos toques florais, elegância e muita cremosidade. Um vinho que mereceu 93 pontos de Robert Parker! É mole?

    O primeiro dos 2 tintos foi o meu conhecido Amayna Pinot Noir 2006, um vinho que oferece sempre uma grande satisfação: com aromas de goiabas vermelhas e terra molhada, é aveludado e com sutil madeira, muita elegância e deliciosas frutas vermelhas e toques florais no paladar. Com o Risotto de Mascarpone, então, arrebentou...

    E, finalmente, a grande estrela da tarde: o novo Amayna Syrah 2007, com seus aromas de geléia de frutas vermelhas e baunilha, é macio, parrudo, suculento e complexo e dançou conforme a música para as Costeletas de Cordeiro. Muito novinho, no entanto, ainda tem bastante tempo pela frente! Para quem conseguir resistir, é claro...

    Oscar Daudt
    Os vinhos
    Amayna Sauvignon Blanc 2007
    100% Sauvignon Blanc
    Álcool: 14,5%
    Acidez: 5,69 g/l
    Produção: 3.700 caixas
    Preço: US$33,50
    Amayna Chardonnay 2006
    100% Chardonnay
    Envelhecimento: 12 meses em barrica
    Álcool: 14,5%
    Acidez: 5,61 g/l
    Produção: 3.015 caixas
    Preço: US$37,90
    Amayna Sauvignon Blanc Barrel Fermented 2006
    100% Sauvignon Blanc
    Envelhecimento: 12 meses em barrica
    Álcool: 14,5%
    Acidez: 5,63 g/l
    Produção: 1.010 caixas
    Preço: US$53,50
    Amayna Pinot Noir 2006
    100% Pinot Noir
    Envelhecimento: 12 meses em barrica (30% novas)
    Álcool: 14,6%
    Acidez: 5,33 g/l
    Produção: 3.700 caixas
    Preço: US$53,50
    Amayna Syrah 2007
    100% Syrah
    Envelhecimento: 12 meses em barrica (65% novas)
    Álcool: 14,5%
    Acidez: 6,5 g/l
    Produção: 890 caixas
    Preço: US$49,90
    O almoço harmonizado
    Pinchos do Mar com Focaccia Pizza branca Burrata com tomate seco Mix de Carpaccios de Peixe Fresco
    Salada do Chef Risotto de Mascarpone Costeleta de Cordeiro com Batatas Rústicas Petit Gateau de Goiaba com Molho Gelado de Queijos
    O restaurante Gibraltar
    Os participantes
    Alexandre Lalas, do Jornal do Brasil Célio Alzer, da ABS Claudia Gómez, da Viña Garcés Silva Danusia Barbara, crítica de gastronomia
    Guilherme, da Mistral Luciana Plaas, crítica de gastronomia Ricardo Farias, da ABS Rodolfo Garcia, da Revista Veja
    Valdiney Ferreira, da L'Orangerie Yoná Adler, da Mistral
     
    Comentários
    Cesar Galvão
    Rio de Janeiro
    RJ
    29/01/2009 Oscar,

    Começou bem o ano, meu amigo... Com exceção do recém-lançado Syrah, já provei todos os vinhos da Garcés Silva e gosto bastante dos brancos, com preferência pelo Sauvignon Blanc fermentado em barrica. Até pra quem não é fã de Pinot Noir chileno, o Amayna PN é bem legal.

    Abraços,
    Cesar
    Ricardo Hayden
    Santos
    SP
    08/03/2009 O sauvignon blanc é tudo isso, uma explosao de frutas com grande boca, persistente, maravilhoso. Em materia de chilenos so perde pro meu paladar pro cipreses da Casa Marin, dificil de achar.

    O pinot noir notavel como sempre, nao bebi nenhum melhor no chile.
    EnoEventos - Oscar Daudt - (21)9636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br