Matérias correlatas
  • Brasil
  • Miolo

  • O tempo passa, o tempo voa...

    Parece mentira que ele já está assim grandinho! 15 aninhos! Parece que foi ontem!

    Para comemorar os 15 anos do Miolo Seleção, o Miolo Wine Group convidou os sommeliers e formadores de opinião cariocas para ums degustação na sede da empresa na Barra da Tijuca. E tal qual uma debutante, o vinho se apresentou com uma roupagem nova, tanto por fora, quanto por dentro.

    Por fora, o rótulo foi redesenhado para melhor transmitir seu caráter jovem e descomplicado. Por dentro, o tinto teve seu corte alterado para um bordalês, com apenas Cabernet Sauvignon e Merlot. Sai de campo a Pinot Noir que existia nas safras anteriores.

    O corte do branco, por sua vez, perdeu a Sauvignon Blanc e ficou apenas com a Chardonnay e a Riesling. Itálico, eu acho... São vinhos confiáveis, de baixo custo, para o dia-a-dia, mostrando que, mesmo quando produz um vinho de entrada, a Miolo não esquece a qualidade.

    Ao lado do Miolo Seleção, tivemos a oportunidade de degustar o Miolo Reserva, apresentado em 3 varietais: Cabernet Sauvignon, Merlot e Chardonnay. Desses, o que mais me encantou foi o Chardonnay, para mim a uva de maior potencial da Serra Gaúcha. Além de resultar nos excepcionais espumantes da região, tem produzido por lá vinhos de mesa de excepcional qualidade. Esse Chardonnay Reserva já me encheu os olhos e o paladar. E, melhor ainda, a Miolo anuncia, agora para setembro, o lançamento do top Cuvée Giuseppe Chardonnay. Já estou contando os dias...

    Oscar Daudt
         
    Os vinhos
    Os vinhos da noite Miolo Seleção Miolo Reserva
    Miolo Seleção Chardonnay Riesling 2009 Seleção e Reserva Miolo Reserva Cabernet Sauvignon 2007
    Os petiscos
    Os anfitriões
    Alexandre Miolo Thatiane Braga O enólogo Ruan Rodrigues
    Ruan e a sommelière Elaine de Oliveira, do Giuseppe Grill Carlos Teles e Alexandre Miolo Ao final, um belíssimo brandy
    Os convidados
    A jornalista Danusia Barbara Fernando Miranda, ex-presidente da ABS-Rio José Paulo Schiffini, Enófilo da Velha Guarda Os sommeliers Ricardo Camilo e Rodrigo Moura, do Salitre
    O professor Jandir Passos Maria Lucia Rodrigues, presidente da Confraria Amigas do Vinho O sommelier Marcelo de Moraes Cecília Schiffini
     
    O sommelier Bruno de Jesus, do Hotel Transamérica Teresa Jóia, vice-presidente da Confraria Amigas do Vinho O sommelier Cláudio Alves, da Wine Society  
    Marcos Carvalho, representante da Miolo em Niterói Janete Soares Sommelier Sérgio Mendes, da Intervinos Maria de Fátima Duarte
    Roberto Cheferrino Herbert Lins, da Le Tour Elaine e Danusia Vista geral do evento
    Comentários
    Cláudio Alves
    Sommelier KMM/Wine Society
    Rio de Janeiro
    RJ
    20/07/2009 É bom ver que uma empresa de peso no mercado nacional, depois de melhorar a qualidade de seus vinhos Top's, agora muda tambem na base.

    A melhora dos vinhos é significativa. O Vinho Seleção Branco 2008 é uma ótima surpresa, esse corte de Chardonnay/Riesling Itálico é pura fruta tropical, leve e fresco ideal para os dias de verão; o Merlot Reserva 2007 é outra boa surpresa, está mais encorpado e de boa persistência. Os rótulos novos deram nova cara e estão mais de acordo com a melhora do produto.

    Parabéns, família Miolo!
    Rodrigo Moura
    Sommelier Salitre
    Rio de Janeiro
    RJ
    20/07/2009 PARABÉNS A FAMILIA MIOLO PELA EXCELENTE ADEQUAÇÃO DO DESIGN DO RÓTULO E SIGNIFICATIVA MODIFICAÇÃO DO PRODUTO. OS VINHOS FICARAM MUITO AGRADÁVEIS, COM UM TOQUE BASTANTE JOVIAL, VINHOS DESCOMPROMISSADOS, BONS PARA TODAS AS OCASIÕES.

    ME CHAMOU A ATENÇÃO O MIOLO SELEÇÃO RIESLING/CHARDONNAY, BEM FRUTADO, COM FRESCOR NA DOSE CERTA E COM EXCELENTE FINAL NO PALATO.
    Neri Cavalheiro
    Médico e enófilo
    Rio de Janeiro
    RJ
    20/07/2009 Essa notícia é alvissareira. Cumprimentos à Vinícola Miolo, pelo feito exitoso e ao Confrade Oscar, pela bela reportagem.

    Esse vinho me traz boas lembranças e o considero um marco do início da elaboração do vinho fino brasileiro. Tomei conhecimento do mesmo, quando visitava Gramado, em 1995... Havia descido uns degraus de escada, no centro da Cidade, para chegar a uma pequena delicatessen. Lá, examinando várias garrafas, o proprietário me apresentou um vinho nacional e me ofereceu uma prova. Fiquei impressionado com o vinho e foi ali que comecei a mudar o conceito de que não vale a pena consumir vinho brasileiro.

    Fico contente, também por esses Guris, o Adriano e o Alexandre, que, no Sul, são, carinhosamente, alcunhados de "Gringos". Eles vão longe, muito longe...

    Abs. aos Confrades e aproveitem para visitar o Mesa de Baco, em http://mesadebaco.blogspot.com
    Neri Cavalheiro
    EnoEventos - Oscar Daudt - (21)9636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br