Matérias correlatas
Chile
Ana Import
Quadrifoglio

Filho único

Antes da degustação, perguntei à bela Maria Ignacia Eyzaguirre Echenique, proprietária da Encierra, vinícola chilena localizada no Vale de Colchagua, por que ela só produzia um único vinho. Eu que me referia a uma miríade de varietais, brancos e tintos, tão próprios das vinícolas chilenas, fiquei surpreso quando ela, como um produtor francês, me respondeu: "Eu não gostaria de fazer um segundo vinho!"

Mais surpreendente ainda foi saber que a produção anual do Encierra é de apenas 25.000 garrafas! Alguém poderia até pensar que Maria Ignacia produz vinhos por diletantismo. Nada a ver! Ela é uma mulher determinada, empreendedora, apaixonada pelo que faz e possui seus planos para crescer, sem nunca, entretanto, abrir mão da qualidade que deseja deixar como seu DNA no vinho.

Na verdade, sua família, de origem basca, está ligada ao vinho desde o século XVIII e foi proprietária dos nossos muitíssimo conhecidos vinhos Los Vascos, figurinha fácil em prateleiras brasileiras. Quando essa empresa foi vendida aos Domaines Barons de Rothschild, a família conservou as instalações e a terra e passou a desenvolver o Encierra. O segredo de manter uma baixa produção - e conseguir sobreviver financeiramente - é que a família possui 150ha de vinhedos, vendendo suas uvas para uma grande vinícola chilena. Só que antes de vender a produção, reserva o que há de melhor, menos de 10% - la crème de la crème - para elaborar seus próprios vinhos.

O resultado de tanto capricho nós pudemos experimentar na degustação vertical oferecida pela seropolitana Ana Import, no Quadrifoglio, Jardim Botânico. Foram 5 safras, de 2002 a 2006. A cada safra, o corte - sempre com um mínimo de 4 castas - é diferente. Uma tendência deu para notar: o percentual de Cabernet Sauvignon, que começou com 70% em 2002, foi diminuindo gradativamente, ano após ano, até atingir 50% em 2006. A Syrah, por outro lado, insidiosamente, foi comendo pelas beiradas e saltou do discreto patamar de 15% para quase se igualar com a Cabernet com seus 45%. Mantendo esse pique, muito em breve teremos um varietal da estrela do Rhône.

Das 5 safras, 2 me impressionaram mais. Chegando humildemente à taça, com excelente boca - aveludada, com muita fruta e elegância francesa - mas com aromas discretos, o vinho foi desabrochando feito uma adolescente e revelou inebriantes notas florais, de avelã e de louro. Magnífico! Infelizmente, recomendo não se entusiasmar muito, pois essa safra já era, não tem mais, babaus...

Porém, nem tudo está perdido, pois o 2005 também levantou as arquibancadas! Apresenta um nariz envolvente, com aromas de violetas, ameixas pretas, bálsamo e coco, e na boca é de grande volume - quase um trio elétrico! - suculento, com taninos maduros e interminável como um carnaval baiano!

Oscar Daudt
Os vinhos
Espumante Herdade do Perdigão Bruto
Região: Alentejo
Castas: 100% Arinto
Álcool: 12%
Encierra 2002
Região: Colchagua
Castas: 70% Cabernet Sauvignon, 15% Syrah, 10% Carmenère, 5% Merlot
Álcool: 14,5%
Envelhecimento: 12 meses em barricas francesas
Preço: indisponível
Encierra 2003
Região: Colchagua
Castas: 68% Cabernet Sauvignon, 15% Syrah, 6% Carmenère, 9% Merlot, 2% Petit Verdot
Álcool: 14,7%
Envelhecimento: 12 meses em barricas 90% francesas e 10% americanas
Preço: indisponível
Encierra 2004
Região: Colchagua
Castas: 64% Cabernet Sauvignon, 15% Syrah, 13% Carmenère, 5% Merlot, 3% Petit Verdot
Álcool: 14,6%
Envelhecimento: parcialmente, 12 meses em barricas francesas
Preço: indisponível
Encierra 2005
Região: Colchagua
Castas: 60% Cabernet Sauvignon, 30% Syrah, 3% Carmenère, 5% Merlot, 2% Petit Verdot
Álcool: 14,0%
Envelhecimento: 12 meses em barricas francesas
Preço: R$ 115 (consumidor)
Encierra 2006
Região: Colchagua
Castas: 50% Cabernet Sauvignon, 45% Syrah, 3% Carmenère, 2% Petit Verdot
Álcool: 14,5%
Envelhecimento: 12 meses em barricas francesas
Preço: R$ 115 (consumidor)
O almoço harmonizado
Tartare di pesce Ravioli di faraona Ossobuco alla Lombarda Sfoglia alla crema di vaniglia
Os anfitriões
Adriana Cerda, enóloga Ana de Andrade, diretora comercial da Ana Import
Maria Ignacia Eyzaguirre Echenique, proprietária da Encierra Rosana Abreu, representante da Ana Import no Rio de Janeiro Marcos Hodara, da Ana Import
Os convidados
Ricardo Farias, diretor da ABS Janjão, do Lorenzo Bistrô Roberto Rodrigues, diretor da ABS Eder Heck, sommelier do Mr. Lam
A jornalista Danusia Barbara João Souza, sommelier do Terzetto
José Hodara, da Symposium Cecília Schiffini Foi muito bom encontrar Mestre Schiffini depois de um longo inverno (e 15 quilos mais magro!)
João Carlos Aleixo, do Artigiano Eduardo Vianna, do Bistrô Montagu O sommelier Marcos Lima Douglas, sommelier do Hotel Fasano
O serviço foi comandado pelos sommeliers André e Davi
Comentários
Fernando Sequeira de Matos
Enófilo
Mealhada
Bairrada
Portugal
11/11/2009 Bom dia

Pelo nome logo se vê que a produtora chilena é Basca.

A queda do Cabernet parece mundial. O espanto pela subida da Syrah só acontece aos distraídos e veja-se o que se faz em Palmela (terra mãe dos vinhos) com esta casta. E a Petit Verdot, também andava distraído com ela até o nosso amigo Lalas nela falar como a uva da casca grossa e o meu avô tinha uma vinha dessa casta que era a unica onde ninguém roubava cachos..... Pudera, com os moscateis na leira do lado.

A Carmenère que não há na Europa só a bebo no Brasil e em Portugal do que trago do Brasil. O Merlot acho-o melhor que o carmenère, mais frutado, mais redondo e na ultima safra é eliminado.

A nossa amiga basca sabe o que anda a fazer. Em nota de rodapé sou dos que ainda não vejo a Espanha como país. Ainda vejo os meus amigos Galegos mais Portugueses que Espanhois, até pela lingua bem mais portuguesa que castelhana. Ainda vejo o D. Quixote em Castela e lá para o sul ainda vejo a mesquita de Cordoba cheia de muçulmanos. São os segredos da Espanha, com todos estes matizes tão marcantes.

Com a protecção da cordilheira dos Andes, a philoxera poupou a Carmenère e só não percebo a não aposta do chile no pé franco.

Fernando
Eduardo Vianna
Empresário
Rio de Janeiro
RJ
13/11/2009 Gostaria de parabenizar a Ana Import por mais este encontro. É fundamental para quem trabalha no mundo do vinho conhecer sobre os produtos e sobre a sua história. Excelentes vinhos!

Obrigado Rosana e Ana pelo convite.

Um super Abraço,
Eduardo Vianna
Eder Heck
Sommelier Mr. Lam
Rio de Janeiro
RJ
15/11/2009 Aos amigos da Ana Import, muito obrigado pelo convite.

Os vinhos são muito bons, chama a atenção o 2005. A comida, como não poderia ser diferente, estava ótima.

Abs
EnoEventos - Oscar Daudt - (21)9636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br