Cientistas franceses descobriram o segredo de manter as borbulhas em uma taça de Champagne: sirva-a como se fosse cerveja, mantendo a taça inclinada e derramando o vinho cuidadosamente na lateral. O estudo revela que o espumante conserva as bolhas por mais tempo quando servido dessa maneira, em lugar da forma usual de derramá-la com a taça na vertical e esperar a espuma sentar para completar o nível.

No entanto, Tom Stevenson, coordenador do painel de Champagnes do Decanter World Wine Awards diz: "Servir um Champagne como se fosse uma Lager é visto como cafona. Nem em um milhão de anos, você verá um sommelier servindo dessa forma. Servir da forma como é feita atualmente é melhor, já que permite que o CO2 escape da taça impedindo que as borbulhas cheguem a seu nariz."

A pesquisa também descobriu que um Champagne servido a temperaturas mais baixas conserva melhor a espuma. A temperaturas mais altas, o dióxido de carbono se perde mais rapidamente. "O serviço à moda das cervejas tem muito menos impacto na dissolvição do CO2 do que o estilo usual, especialmente a baixas temperaturas (4-12°C). O primeiro método é muito menos agressivo do que o segundo", diz o estudo.

O relatório publicado no Journal of Agricultural and Food Chemistry foi conduzido por Gerard Liger-Belair, um professor da Universidade de Reims e autor do livro Uncorked: the Science of Champagne.
Comentários
Luciano Neto
Enólogo
Porto Alegre
RS
14/08/2010 De quando é esta pesquisa? Essas conclusões já são tão antigas quanto o método champenoise. E, eu, como não sou sommelier, sou cafona mesmo e sempre pego a taça na mão e inclino para servir.

Luciano, a pesquisa foi publicada em julho deste ano no Journal of Agricultural and Food Chemistry e virou notícia ontem nos sites da revista Decanter e da BBC News.

Abraços, Oscar
Joel Guerin
Rio de Janeiro
RJ
16/08/2010 Luciano,

Seculos antes desta pesquisa de ultima geraçao sendo revelada ou virar noticia, qualquer enologo, sommelier ou simples consumidores de espumante ou champagne sabiam destas praticas.

Abraço, Joel
Marcelo Carneiro
Advogado, escritor e enófilo
Resende
RJ
16/08/2010 Segundo meu querido professor Roberto Rodrigues, estudos recentes recomendam ainda que o Champagne deve ser armazenado de pé. Trata-se de uma tendência nova, mas que parece ter procedência. Desse modo, nem deitada em adega, nem em geladeira, o que implica no desenvolvimento de novo tipo espaço (provavelmente, de pé nas adegas maiores).
Paulo Mazeron
SBAV/RS
Porto Alegre
RS
23/08/2010 Retornando da Europa sábado, a bordo da Air France, lí um comentário sobre o assunto no "Le Figaro" de 21/8. O texto informa que em média existem 12g de CO2 por litro de champanha e a diferença entre as perdas é de mais de 1,5g quando a taça está na vertical.

Mas a tradição manda servir com a taça na vertical...
EnoEventos - Oscar Daudt - (21)9636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br