Matérias correlatas
Análises de preços
Brasil

Há pouco mais de um mês, publiquei aqui no EnoEventos, uma matéria reclamando que os supermercados Zona Sul estavam vendendo o vinho Dal Pizzol 35 anos por absurdos 135 reais (na prateleira e na Internet), enquanto o mesmíssimo vinho estava disponível na página da vinícola por 60 reais (clique aqui para relembrar). A notícia mereceu um desastrado comentário do Gestor de Bebidas Alcoólicas do supermercado, que despertou mais indignação em nossos leitores do que o próprio preço abusivo do vinho.

Uma semana depois, um de nossos leitores avisou que o preço do vinho havia despencado para 75 reais (preço de lista, sem desconto), conforme pude constatar no página do supermercado. Foi uma grande alegria ver que o Zona Sul havia respondido às reclamações dos enófilos cariocas e trazido o preço do vinho para um patamar bem mais razoável. Na ocasião escrevi, comemorando a medida: "Fico contente em saber que o Zona Sul ouviu nossas reclamações e baixou o preço de forma assim tão significativa. O Zona Sul vai continuar a ser meu supermercado favorito para comprar vinhos!"

Depois disso, não mais estive no supermercado. Até hoje, quando fui à filial da rua Bambina. Qual não foi minha surpresa ao constatar que o vinho, cujo preço havia baixado para 75 reais, estava sendo vendido por 119 reais! Pensei com meus botões: "O Zona Sul está de brincadeira! Como pode um vinho ser lançado por 135 reais, depois baixar para 75 reais e logo em seguida ser majorado para 119 reais? É muito desrespeito para com os consumidores!"

Eu não sei se vocês conhecem essa filial do supermercado e ignoro se nas demais lojas seja assim, mas nela existem os vinhos expostos na prateleira - mais simples e baratos - e um display no meio da loja, em que são exibidos os vinhos mais caros e exclusivos, como os Bordeaux, Brunellos, Amarones e outros que tais... Pois é, agora o Dal Pizzol 35 Anos desceu da prateleira para esse lugar de destaque e isso parece ser a justificativa para a nova remarcação.

Ao chegar em casa, consultei a página do supermercado e, para minha ainda maior surpresa, constatei que esse vinho continua custando 75 reais on-line! Será que existe alguma justificativa para tal disparidade de preços entre a loja e a Internet? Principalmente sabendo que os demais vinhos que conferi custam a mesma coisa em ambos canais de venda. A idéia que passa é que o Zona Sul aluou...

Em tempo: visitei o site da Dal Pizzol e eles estão comemorando ter vendido toda a produção desse vinho pela quantia de 60 reais cada.

Oscar Daudt
Comentários
João Montarroyos
Mestre equitador
Rio de Janeiro
RJ
19/09/2010 Frequento o Zona Sul desde que era uma única loja na Praça General Osório (década de 1970), Ipanema.

Ontem comprei um Tinto Malbec Argentino, totalmente "morto", na filial da Av. Atlântica. Que decepção...
Carolina Cavalcante
Economista
Niterói
RJ
20/09/2010 Também não tive boas experiências com vinhos no Zona Sul, muitos dos que lá comprei estavam passados. Há algumas semanas comprei o Veuve Clicquot da promoção, espero não ter outra surpresa desagradável.

Ultimamente não tenho mais comprado vinho em supermercado, só em lojas especializadas, mas algumas vezes acabo tendo uma recaída, como foi o caso do Veuve.
Valdiney C Ferreira
L'Orangerie
Rio de Janeiro
RJ
20/09/2010 Caro Oscar,

Por dever de ofício, afinal tenho uma loja de vinhos e preocupação com meus clientes, a questão preço-qualidade é uma fixação. São muitas as variáveis na trajetória de uma garrafa desde o produtor até o consumidor que afetam seu preço e frequentemente sua qualidade. Não discuto tanto o preço porque sendo a parte mais visível o consumidor pode controlar.

Mas, sobre a qualidade, como consequência de seu transporte e armazenagem é + complexo e poucos escrevem ou falam sobre o tema. Os vinhos, precisam de temperatura controlada (refrigeração) para manter sua qualidade e maturarem como previsto. Mas tem alguns importadores, supermercados inclusos, que para reduzirem custos nem sempre repassados aos preços, não fazem assim.

O tema lhe interessa? É pedreira! Abcs

Waldiney, o tema interessa não só a mim, como a todos os leitores e enófilos...

Abraços, Oscar
Marcus Ernani
Leitor
Rio de Janeiro
RJ
20/09/2010 Eu como consumidor do Zona Sul, possuidor do seu cartão (in)fidelidade, atesto que o ZS tem dois problemas crônicos. São eles: PRECIFICAÇAO (sempre há divergências entre gôndola e caixa. Incrivelmente sempre para mais!) e TROCO (arredondam sempre em favor do estabelecimento, é claro!).

E estão criando um terceiro, ATENDIMENTO! De quem foi a “brilhante” idéia de uniformes pretos?
Marco Serlini
Representante
Milano
Itália
20/09/2010 Bom dia...

Não tem nada a ver com o assunto do Zona Sul.. mas gosteria saber se a gente no Brasil tem uma ideia de quanto tempo pode ficar engarrafado um Prosecco Italiano... Pesquisa e depois responde...

Adoro o vostro site, aqui na Itália nao tem site que trata argomentos vinhos desta forma... cuidado e serio.

Marco Serlini
Milano - Italia
Representante de vinhos italianos

Marco, obrigado pelos elogios. Os Proseccos não são vinhos de guarda e devem ser consumidos em pouco tempo.

Abraços, Oscar
Tito Villar
Médico
Rio de Janeiro
RJ
20/09/2010 Caros enófilos:

Preço e produtos bons é na CADEG, sem sofisticação, porém inferiores a 50% de qualquer estabelecimento da zona sul. O principal, são muito atenciosos e antenados com as promoções. Uma ida a cada dois meses abastece qualquer adega da mais simples à mais sofisticada.

Um porém, pagamentos a vista, no máximo débito automático.

Tito Villar
Rodrigo Gouvea dos Santos
Aviador
Rio de Janeiro
RJ
20/09/2010 Prezado Oscar,

Como cliente antigo do Zona Sul, principalmente a loja da esquina de Bolivar com N.S. de Copacabana, venho observando um declínio contínuo na qualidade dos servicos deste mercado! A qualidade das frutas e hortaliças vem piorando, não existe mais aquele frescor de outrora... O ar condicionado muitas vezes desligado ou com defeito, diferente do passado... A loja ficando suja, sem manutenção preventiva, enfim, está perdendo aquele encanto de tempos passados, onde tudo que se via brilhava e era de qualidade...

Mas os preços continuam os antigos, mais altos geralmente do que a concorrência... Que pena!!
Ronaldo Borgerth
Enófilo
Rio de Janeiro
RJ
20/09/2010 Na verdade, nós deveríamos também perguntar à Dal Pizzol e outras vinícolas nacionais o porquê de alguns vinhos custarem a bagatela de 60, 80 e muitas vezes mais de 100 reais.

Quanto a vinhos estragados, já comprei no Zona Sul algumas garrafas que vieram defeituosas e consegui trocar todas. Sem nenhum problema.
João Alfredo de Mendonça
Enófilo
Rio de Janeiro
RJ
20/09/2010 No Zona Sul do Leblon, ao lado do 23º Batalhão da PM, o vinho está no display no meio da loja, por 75 reais... Será que agora cada loja um preço?
Glauco Vaz
Enófilo
Rio de Janeiro
RJ
20/09/2010 Estive na loja da Barra, no último sábado, e também o vi exposto no display central, por R$ 75,00 a garrafa.

Pelo jeito, estou frequentando a filial errada... :-)

No dia em que vi o novo preço, perguntei à sommelière da loja o que havia acontecido para aquele vinho ter aumentado de 75 para 119 reais. Ela me respondeu que eu estava enganado e que aquele vinho sempre custou 119 reais.

Oscar
Benedito Catanhede
Publicitário
Rio de Janeiro
RJ
22/09/2010 Como consumidor, sempre fui cliente e admirador/comprador dos vinhos de sua adega. Inclusive já frequentei várias degustações oferecidas por eles.

Realmente não consigo entender qual é essa estratégia. Tem algo estranho nesses preços. Nesse caso, o conceito CUSTO X BENEFÍCIO não está sendo respeitado.
Julio Ribeiro
Leitor
Rio de Janeiro
RJ
24/09/2010 Caro Oscar,

Sou leitor assíduo deste site e resolvi me manifestar pela primeira vez.

Já vi diversos temas muito interessantes por aqui, mas este sobre os preços praticados pelo Zona Sul, realmente o considero descabido. Primeiramente, somente pagam o preço exposto, aqueles que o consideram interessantes. Ninguem é obrigado a comprar algo que não queira ou que não considere interessante.

Segundo, você não cita que sobre o custo para compra diretamente no site do produtor ainda incidem custos de frete e que esta é uma estratégia comum a diversos produtores nacionais, para gerar experimentação de seus vinhos mais sofisticados, uma vez que, geralmente, restaurantes, lojas especializadas e supermercados, poucas vezes abrem espaços para os vinhos brasileiros, preferindo ter em suas cartas muitos "Santas qualquer coisa".

Abraços a todos!!
Pedro Calmon Neto
Enófilo
Rio de Janeiro
RJ
05/10/2010 Prezado,

Ontem, 04/10/2010, fui ao Zona Sul da Rua Bambina e comprei o Dal Pizzol 35 anos por R$ 75,00. Parece que estão respeitando mais o consumidor, praticando preços justos.

Atenciosamente
Ricardo Feitosa
Sommelier
Rio de Janeiro
RJ
17/10/2010 Boa noite!

Amigos enófilos, uma precificação é passível de erros, quando um produto pode ser precificado manualmente (pelas famigeradas precificadoras), pode sim haver um engano (o que não justifica). Mas se o senhor, em algum momento fosse ao registro (caixa) ao escanear o código de barras, o preço praticado seria o de R$ 75,00.

Aos que em algum momento tiveram o "desprazer" de uma garrafa "estragada", reitero que nós do Zona Sul, sempre as trocamos, desde que seja apresentada a nota fiscal de compra.

Espero poder ajudá-los sempre que possível.
RF
EnoEventos - Oscar Daudt - (21)9636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br