Equipe afiada
O Blason, da Casa Julieta de Serpa, tem as instalações mais bonitas e requintadas de todos os restaurantes cariocas, recheado de obras de artes antigas e decoração luxuosa. Nos últimos tempos, no entanto, a equipe da casa não estava fazendo jus ao ambiente.

Carlos Alberto Serpa, proprietário da Casa, decidiu dar uma sacudida no pessoal e terminou fazendo uma tremenda revolução de qualidade. Primeiro, contratou João de Souza, que ao final do ano passado foi eleito o melhor sommelier pelo juri da Veja Rio e por diversas vezes teve sua carta de vinhos escolhida como a melhor do Rio de Janeiro.

Mas a unanimidade em torno de Joãozinho necessitava de um chef a altura dessas transformações radicais. E a escolha recaiu sobre o reverenciado chef Pierre Landry - um francês com um improvável e contagiante sorriso no rosto - que, depois de trabalhar em alguns dos mais estrelados restaurantes da França e de Nova Iorque, aportou no Brasil em 1997 para comandar o saudoso Le Saint-Honoré, do saudoso Meridian.

Para apresentar o novo chef aos cariocas, o Blason ofereceu um espetacular jantar onde Landry exibiu sua criatividade de forma encantadora, com a coadjuvante atuação de Joãozinho que não deixou a peteca cair nem quando os pratos vinham com interessantes pegadinhas para a correta harmonização.

Foram muitas as etapas servidas, que transitaram do ótimo ao sublime. E, para mim, sublime foi o Filé de robalo confitado em azeite perfumado, musseline de alcachofra e "huile verge", que veio acompanhado de um extra-mineral Chassagne-Montrachet Hubert Lamy 2008. Mas a Medalhão de cavaquinha poché, salada de aipo e maçã verde e ovas de salmão, escoltada por um Champagne Canard-Duchêne Brut não ficou muito atrás. São momentos assim que fazem a gente dar gracias a la vida!

Como de costume, eu não provei a sobremesa, uma Tarte sablée de nozes macadâmia, calda de damasco e sorvete de baunilha, mas meus companheiros de mesa exultaram com ela e houve até um princípio de tumulto para ver quem iria ficar com a minha cota.

Menu executivo
O restaurante oferecerá, de terça a sexta, um menu executivo, com entrada, prato principal, sobremesa e uma taça de vinho por honestíssimos 65 reais. Já à noite, o serviço será a la carte, com os pratos que, em primeira mão, apresento na figura ao lado. Vale a pena clicar para ler o que o novo chef tem a nos oferecer. E, para breve, Landry promete incluir um menu degustação dentre as opções para os comensais. Se for igual ao que a gente experimentou, vai sair faísca!

Oscar Daudt
O cardápio do chef Pierre Landry
Vieira grelhada no espeto com presunto Pata Negra Medalhão de cavaquinha poché, salada de aipo e maçã verde e ovas de salmão Filé de robalo confitado em azeite perfumado, musseline de alcachofra e "huile verge"
Granité de Beaujolais com creme de cassis Filé mignon recheado com foie gras, batatas confitadas Tarte sablée de nozes macadâmia, calda de damasco e sorvete de baunilha
Os vinhos do sommelier João de Souza
Crémant de Bordeaux Cuvée Royale Brut Martín Códax Albariño 2009 Champagne Canard-Duchêne Brut
Chassagne-Montrachet Hubert Lamy 2008 Château Béhèré Pauillac 2006 Château Ramon Monbazillac 2006
Fotos do evento
Chef Pierre Landry e sommelier João de Souza Carlos Alberto Serpa, proprietário da Casa Julieta de Serpa Os chefs Roland Villard e Claude Troisgros foram prestigiar a estréia de Landry
Euclides Penedo Borges fez o discurso de agradecimento Jornalista Rachel Almeida Confraternizando com Landry: João de Souza, Carlos Alberto Serpa, Roland Villard, Claude Troisgros e Fernando Rezende, gerente da Casa Julieta de Serpa
Luana Rocha, da assessoria de imprensa do Blason Salão da Casa Julieta de Serpa Os vinhos da noite
Comentários
Robert Phillips
Representante comercial
Rio de Janeiro
RJ
27/01/2011 Oscar, concordo com todas as colocações, menos a de que o João de Souza seja coadjuvante: ele é um ícone, sorte do restaurante Blason tê-lo.

Robert, você está certo ao dizer que o João é um ícone. E entendo a sua interpretação incorreta da palavra coadjuvante, pois a gente está tão massacrado pelos prêmios do Oscar, que fica achando que ela se refere a uma posição secundária. Na verdade, o verbo "coadjuvar" significa "auxiliar na busca de um objetivo comum".

Abraços, Oscar
Mauro Raja Gabaglia
Enófilo
Rio de Janeiro
RJ
27/01/2011 Oscar,

Sou fã do Pierre Landry e sempre achei que ele estava mal aproveitado no Mok Sake Bar, um local que prioriza a culinária oriental. Acho que chegou a hora de eu finalmente conhecer o Blason.
Jarbas Camara Pache de Faria
Medico aposentado e Fromageur
Niterói
RJ
28/01/2011 Após me aposentar parcialmente da medicina e cultivar o hobby da Caprinocultura e conhecer o mundo dos Queijos na França, estudando de tudo um pouco, estou lançando alguns produtos que poderiam ser aproveitados pelo nosso chef em seu espetacular restaurante. Se for possível um contato levarei os produtos para vosso conhecimento.

Att, Jarbas

Jarbas, passarei seu e-mail para o restaurante.

Abraços, Oscar
EnoEventos - Oscar Daudt - (21)9636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br