Matérias relacionadas
Portugal

Enólogo-rodoviário
Há cerca de dois anos, o boa-praça João Portugal Ramos e sua mulher Teresa estiveram no Rio de Janeiro para apresentar seus vinhos no Antiquarius, uma espécie de embaixada informal de Portugal no Leblon. Voltando à nossa cidade, desta vez o encontro foi no Fasano al Mare, a quintessência italiana de Ipanema. Estranho, não?

Mas acredito que a idéia de João Portugal foi mostrar que seus vinhos são internacionais. Apesar de seu nome - que é quase um passaporte lusitano - o respeitado enólogo português não é um chauvinista e busca aperfeiçoar seus vinhos com castas internacionais. Cabernet Sauvignon é quase padrão em seus cortes de variadas castas autóctones. E isso dá certo? Na minha opinião, deu muito certo! A harmonização com o cardápio essencialmente italiano foi primorosa.

João Portugal é a cabeça de um grupo de vinícolas que inclui a J. Portugal Ramos, onde produz as linhas Marquês de Borba e Vila Santa, no Alentejo; a Quinta de Foz de Arouce, nas Beiras, onde elabora dois respeitados Bagas; e a Falua, no Tejo, de onde vem, dentre outros, o Conde de Vimioso. E mais, há cerca de 20 anos, constituiu a Consulvinus que presta consultoria em enologia para as mais diversas regiões vinícolas lusitanas. Só não se pode dizer que ele é um antêntico enólogo-voador porque em Portugal as pessoas não costumam se deslocar de avião, mas sim de carro; ele está mais para um enólogo-rodoviário!

Não bastasse isso tudo, João Portugal, em 2006, desafiou o não menos festejado enólogo e amigo José Maria Soares Franco a desenvolver um projeto no Douro, batizado de Duorum e que, em poucos anos já se constitui numa das maiores apostas portuguesas para o desenvolvimento de vinhos de alta gama.

Jantar harmonizado
E no jantar que a Casa Flora ofereceu à imprensa especializada do Rio de Janeiro, João Portugal apresentou os vinhos de apenas dois desses empreendimentos: a J. Portugal Ramos e a Duorum. Não que isso seja pouco, pois experimentamos nada menos do que 8 rótulos para acompanhar as 5 etapas do menu. Fora a sobremesa, cada prato foi escortado por dois vinhos. Foi fantástico!

Os canapés foram servidos com o Marquês de Borba Branco, das safras 2009 e 2010. Alexandre Lalas e eu concordamos que não iríamos brigar por vinhos, pois enquanto ele se deleitava com a explosão aromática do 2010, eu me encantava mais com a mineralidade e maior estrutura do ano anterior. Mas a coisa ficou mais séria quando, já sentados à mesa, para acompanhar o Tortelli di Vitello, chegou o Vila Santa Branco, fermentado em barricas novas de carvalho francês. Um vinho maravilhoso, untuoso, mineral e especiado. Um show! Até tinha outro vinho para harmonizar com o prato, o Marquês de Borba Tinto, mas eu nem dei pelota para ele, de tão encantado que estava com o branco.

Gostei demais do Risotto com Ragu, que mereceu o escorte do Vila Santa Reserva Tinto e do Vila Santa Trincadeira. Dessa vez, a briga foi mais parelha e ambos os rótulos encararam bem a cremosidade do arroz, mas a minha preferência ficou mesmo com o primeiro, um complicado corte de Aragonêz, Touriga Nacional, Trincadeira, Alicante Bouschet e - sempre - Cabernet Sauvignon, um vinho elegante, suculento e macio.

Agora, briga mesmo, de foice no escuro, travaram os acompanhantes da Tagliata: num ato de coragem, João Portugal colocou lado a lado os poderosos Marquês de Borba Reserva e Duorum Reserva e deixou eles se engalfinharem. Foi difícil escolher qual o mais maravilhoso e qual melhor cortejava a carne (que, por sinal, foi um grande momento do chef Luca Gozzani). Mas quando fiquei sabendo que, enquanto o primeiro custa 190 reais, o segundo sai quase a metade, 110 reais. Assim é brincadeira: nem precisei pensar duas vezes para declarar o Duorum como o campeão da noite!

Ainda teve uma bela sobremesa, acompanhada do aclamado Duorum Porto Vintage, mas passei lotado pelos dois.

Oscar Daudt
Os vinhos
(fotos de divulgação)
Marques de Borba Branco
Região: Alentejo
Castas: Arinto, Roupeiro e Rabo d'Ovelha
Álcool: 12,5%
Preço (PF): R$36
Vila Santa Branco
Região: Alentejo
Castas: Antão Vaz, Arinto e Verdelho
Álcool: 13,5%
Fermentação parcial em barricas novas de carvalho francês
Preço (PF): R$78,20
Marquês de Borba Tinto
Região: Alentejo
Castas: Aragonêz e Trincadeira
Álcool: 14%
Estágio em meias pipas de carvalho de 2º uso
Preço (PF): R$42
Vila Santa Reserva Tinto
Região: Alentejo
Castas: Aragonêz, Touriga Nacional, Trincadeira, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon
Álcool: 14%
Nove meses em pipas de carvalho americano e francês
Preço (PF): R$77
Vila Santa Trincadeira
Região: Alentejo
Castas: 100% Trincadeira
Álcool: 14%
Seis meses em pipas novas de carvalho francês
Preço (PF): R$64
Duorum Reserva
Região: Douro
Castas: Vinhas velhas com predominência de Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz e Sousão
Álcool: 13,5%
Em barricas de carvalho francês por 12 a 18 meses.
Preço (PF): R$110
Marquês de Borba Reserva
Região: Alentejo
Castas: Trincadeira, Aragonês, Alicante Bouschet e Cabernet Sauvignon
Álcool: 14%
12 meses em meias pipas de carvalho francês
Preço (PF): R$190
Duorum Porto Vintage
Região: Vinho do Porto
Castas: Vinhas velhas, Touriga Nacional, Touriga Franca e Tinta Roriz
Álcool: 20%
O jantar harmonizado
Cannolo di brie, prosciutto crudo e noci Carpaccio cocktail Tortelli di vitello con fonduta di parmigiano
Risotto con ragu, taleggio e zaferano Tagliata al rosmarino e aceto balsamico Panna cotta con frutti di bosco
Os participantes
João Portugal Ramos Teresa Ramos Humberto Cárcamo, o novo representante da Casa Flora no Rio de Janeiro
Paulo Nicolay e Luciana Fróes A apresentadora Liliana Rodriguez Danusia Barbara
A promotora de eventos Lou Bittencourt Renata e Marcelo Copello Luciana Plaas
Alexandre Lalas
Teresa Ramos e sua cunhada Luiza Jardim, da revista Caras Thais Carvalhal, da Casa Flora
Danusia, Luciana e Jô Sodré Luciana e o chef do Fasano, Luca Gozzani O serviço foi conduzido pelos sommeliers Eduardo Ferreira e Douglas Gonçalves
 
Comentários
Sem comentários até o momento    
EnoEventos - Oscar Daudt - (21)9636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br