Casa de bambas
Dionísio Chaves e Nicola Giorgio, a dupla que faz sucesso na Barra com o restaurante Duo, partiu para nova empreitada e abriu há poucos dias, na badalada rua Dias Ferreira, no Leblon, um bar de vinhos: Bottega del Vino. Localizada onde antes era o Mok, o ambiente é bonito, moderno e aconchegante, com uma iluminação no ponto certo: não é um breu, nem uma Drogaria Pacheco.

Além das mesas do salão, na calçada existem outras duas e mais algumas mesinhas altas, do tipo "sardinha em pé", que com certeza serão uma bela pedida para a saída da praia. E ao fundo, ainda tem um pátio interno, com uma grande mesa redonda. Quando estive lá, ela ainda não estava funcionando, mas tem tudo para ser o lugar mais disputado da casa.

Mudanças a jato
Em matéria publicada na Revista Rio Show, de O Globo (06/janeiro), a Bottega declara que sua maior aposta são os vinhos em taça. Estranho, muito estranho... pois como vocês poderão ver, para que isso seja verdade, há um longo caminho pela frente.

Uma semana antes de eu visitar a nova casa, o jornalista Bruno Agostini esteve por lá e publicou em seu blog Rio de Janeiro a Dezembro, dentre outras fotos, uma em que se podia conferir o preço dos vinhos em taça disponíveis. Eu reproduzo abaixo essa foto:


Além de opções bastante limitadas, os preços eram destemperados, muito acima daqueles praticados em qualquer outro estabelecimento carioca. E se fossem grandes vinhos, ainda poderia se justificar. Só que não eram. Por exemplo, o Roux Père & Fils Bourgogne Chardonnay 2009 é vendido pela Zahil, ao consumidor final, por 88 reais e a nova casa estava cobrando 71 reais pela taça! Inacreditável.

Eu fiquei muito assustado e achei até que seria melhor não conhecer o novo bar, mas fui convencido de que valeria a pena ir pelo menos uma vez para saber como era. Para minha surpresa, ao chegar lá pude verificar que o panorama já era completamente outro. Vejam a mudança radical que aconteceu em poucos dias nas opções de vinhos em taça:


Os preços despencaram e a quantidade de alternativas aumentou - muito embora continuem com uma variedade discretíssima para quem está "apostando em vinhos em taça". Com isso, retirado o bode do salão, eu já comecei a achar os preços baratíssimos! Para se ter uma noção mais nítida da mudança, vejam que o vinho de sobremesa que havia na primeira versão e continuou na nova carta, teve seu preço implodido de 65 para 25 reais a taça!!!

Só que as surpresas não pararam por aí. Como queríamos iniciar com uma taça de vinho branco, pedi o Alain Brumont Gros Mensang Sauvignon 2010. Estava em falta. E na verdade estavam em falta todas as 3 opções de brancos recém-incluídas na nova carta. Como pode? Dionísio e Nicola não são neófitos no negócio para cometerem erros assim primários...

Foi-me recomendado, então, uma taça de Patriarche Bourgogne Chardonnay (R$24), que não consegui ver a safra. Bem, eu havia provado esse vinho em 2007 e escrevi sobre ele: "um vinho delicioso, com boa acidez e persistente.". Desta vez, foi uma decepção: o vinho estava ligeiríssimo, desencorpado e com zero de acidez. Eu bem que reclamei com o sommelier - que não era o Dionísio - mas ele fez ouvidos de mercador...

Depois dessa experiência ruim, pedimos uma garrafa de um delicioso Brancaia Tre 2008 (140 reais), corte de 80% de Sangiovese, com um temperinho de Merlot e Cabernet Sauvignon. Esse vinho é vendido pela Grand Cru, por 80 reais. Em suma, embora não seja um preço para aplaudir de pé, pelo menos a Bottega está com uma margem melhor do que a maioria dos restaurantes cariocas.

Excelentes comidinhas
No terreno das comidinhas, a casa está azeitada como um extra-virgem. O Polipo (polvo grelhado com pavê de batata e pesto de rúcula, R$24) era simplesmente bom. Já o Paté de foie gras com frutas cítricas (R$28) era dos deuses e seu acompanhamento de lichias frescas foi um achado! Recomendo fortemente. Assim como também recomendo sem pestanejar o Straccetti (tiras de filé sauté com rúcula e vinho branco, por R$24) que era de entusiasmar. Por fim, era muito boa a Polenta Toscana (polenta com ragu de cordeiro e queijo pecorino, R$22).

Embora a casa esteja ainda em seus primeiros dias, o serviço chamou a atenção pelo atendimento simpático e eficiente.

Portanto, vá sem medo conhecer a casa. Mas se você esperar mais uma semana, pode ser que o preço dos vinhos em taça tenham caído mais um pouco...

Oscar Daudt
Fotos da noite
Polipo Paté de foie gras com lichias Straccetti
Polenta toscana Brancaia Tre Maremma IGT 2008 Vista do bar
A carta de vinhos
(quase completa...)
O cardápio
Comentários
Antonio Campos
Empresário
Rio de Janeiro
RJ
07/01/2012 Oscar, é realmente uma oportunidade, acho que viveremos este ano um novo conceito de tomar vinho.

A possibilidade dos restaurantes proporcionarem um bom leque de vinhos em taça é uma experiência perfeita e didática, é uma viagem por vários estilos, proveniência, "brincar" com harmonizações, etc...

Forte abraço, Antonio
Mario Trano
Blog Mondovinho
Rio de Janeiro
RJ
07/01/2012 Sinceramente, não me pareceu barato. Se comparamos aos demais restaurantes os preços podem até ser razoáveis, mas como a proposta é ser "bar de vinhos", acho um dever ter uma carta de vinhos mais em conta.

Abraço!
Sergio Miceli
Vendedor de Vinhos Tintos e Enófilo
Rio de Janeiro
RJ
07/01/2012 Irei dar uma conferida de perto, porém estou curioso para saber o método de conservação do vinho depois de aberto já que sou, por experiência própria, a favor do polêmico método de congelamento do vinho que não só conserva mas melhora a preciosa bebida, pois após o descongelamento, os resíduos sólidos ficam decantados com suas benéficas propriedades agora totalmente homogêneas.

Enfim, a bebida decantada e conservada.
Elaine de Oliveira
Sommelière
Rio de Janeiro
RJ
08/01/2012 Oscar querido,

Ainda não consegui visitar o Bottega del Vino, mas confesso que estou curiosíssima para conhecer! Tenho certeza que um restaurante que tem à frente Dionísio Chaves e Nicola só pode ser coisa da boa. São dois profissionais incríveis do qual me declaro fã de carteirinha do 1° pelo grande sommelier que é... E se algo não estava no eixo quando você esteve lá, tenho certeza que já acertaram, questão de tempo, afinal acabaram de abrir.

Aproveito para fazer uma correção, o Roux Père & Fils Bourgogne Chardonnay 2009, não é da Grand Cru e sim da Zahil.

Um feliz 2012 para você, que seja um ano maravilhoso, surpreendente, repleto de felicidade e de muito sucesso!!! Um grande beijo!

Elaine, obrigado pela correção. Já alterei o texto. Beijo, Oscar
Dionísio Chaves
Sommelier
Rio de Janeiro
RJ
10/01/2012 Oscar,

O cardápio fotografado pelo Bruno Agostini era apenas uma amostra para checarmos o layout, as sugestões e preços eram simulações, não estavam valendo, por isso a diferença verificada por você nos valores.

Nossa filosofia é proporcionar o melhor preço possível dentro da operação de gerir um restaurante. Não somos imediatistas, trabalhamos para conquistar resultados de longo prazo. O retorno deve ser consequência de um trabalho feito com prazer, alegria e competência. Quanto aos vinhos em taça, além dos que estão no menu, temos mais oito opções na máquina e mais três brancos e um rosé. Sem falar nos portos Quinta do Portal, Quinta do Noval e Offley, ambos em taça Tawny, Ruby, 10 anos, 20 anos, 30 anos, 40 anos e LBV. A ideia é termos em média 50 vinhos em taça, lembrando que ainda vamos receber mais 3 máquinas Enomatic.

Quanto à falta de vinhos, é algo que vamos aprimorando ao longo da operação, pois vamos identificando os de maior rotatividade e aceitação entre os clientes. Fazemos pedidos diários, mas temos uma logística no Brasil muito complicada. Em média, são 72 horas para entregarem o pedido, salvo os importadores, como a Zahil, com estoque no Rio e que nos entrega no mesmo dia.

Agradeço por suas observações, críticas feitas com profissionalismo nos ajudam a crescer.

Clientes e amigos, apareçam na Bottega del Vino desde já, pois os preços são muito justos!

Auguri,
Dionísio
José Flávio Gioia
Cozinhando com Gioia
Rio de Janeiro
RJ
11/01/2012 Ainda não tive a oportunidade de conhecer o novo empreendimento da dupla Dionísio e Nicola, mas à despeito de algumas considerações, nessa fase implantação, sobre os vinhos, cartas etc, um ponto que me chamou a atenção foi o elogio unânime à qualidade dos pratos apresentados. Isso, certamente, tem o dedo de alguém muito especial chamado Pedro Pecego, um jovem e talentoso Chef cuja história já conheço há muitos anos e que me falou desse seu novo desafio, no final do ano passado, num papo que tivemos no Cozinhando com Gioia.

Quando ainda menor de idade, precisava do apoio do "papai dele" para transportar de carro, para minha casa, os ingredientes que iria utilizar na festa que iria preparar para nós... eram pescados frescos, já que, naquela ocasião, Pedro Pecego era "O Sushiman".

Parabéns e votos de sucesso à Bottega del Vino!!!!
Robson Godinho
Rio de Janeiro
RJ
11/01/2012 Estive na casa na noite do dia 05 de janeiro. Os pratos estavam muito bons, mas com os preços bem elevados, talvez pela "contaminação" do desvairio de cifras na Dias Ferreira.

Mas o que mais surpreendeu negativamente foi a oferta de vinhos em taça. Além das poucas sugestões no cardápio, há várias garrafas disponíveis em uma máquina própria, cujas opções são modificadas frequentemente e são informadas oralmente pelo sommelier (no caso, um simpático neozelandês, salvo engano chamado Paul). Foi no mínimo confusa a exposição, com o sommelier consultando um papel manuscrito com as opções, mas se limitando a dizer a região e a uva, sem se preocupar com a safra ou o produtor...

Como não havia uma "carta" para que pudesse ler e eu não estava disposto a interromper a todo momento uma leitura de uns dez itens, optei pelo vinho em garrafa. Em todo caso, pareceu uma falha bem grave para o que se propõe o estabelecimento, que, reitero, é agradável.
Oscar Daudt
EnoEventos
Rio de Janeiro
RJ
11/01/2012 Longe de mim querer pegar no pé da Bottega del Vino, mas considero quase que uma obrigação minha com os leitores do EnoEventos alertar sobre os preços comparados desse bar com os do restaurante Vieira Souto. Acho mesmo que é um serviço que presto aos próprios donos do bar para que possam adaptar seus preços a uma realidade de mercado.

Onde vocês avaliam que os preços deveriam ser maiores:

  • Em um restaurante ou em um bar de vinhos?
  • Em um estabelecimento localizado em um finíssimo casarão à beira do mar de Ipanema ou em outro num pequeno espaço da Dias Ferreira?
  • Em uma casa com mesas amplas e espaçadas ou em outra com mesinhas pequeninas coladas umas às outras?

    Eu não pestanejaria em ficar com a primeira opção das 3 perguntas. Mas não é isso o que aconteceu. Comparando vinhos existentes em ambas as cartas, constata-se que os preços praticados na Bottega del Vino são em média 30% superiores aos do Vieira Souto. E em alguns casos, 50% ou mais caros. Confiram os valores na tabela abaixo:
  • Marcio Moualla
    Terramater
    Rio de Janeiro
    RJ
    12/01/2012 Estimado Oscar. Li o seu comentário a respeito do restaurante Bottega. Antes de qualquer coisa gostaría de dizer que minha opinião nao é apenas por ser proprietário da empresa Terramatter que representa os vinhos Von Siebenthal e Facundo citados na matéria para o Brasil.

    A concientizaçao de preços dos vinhos deve ser uma obrigação a todos que fazem parte da cadeia até um vinho ser degustado: produtores, importadores, distribuidores, atacadistas, restaurantes.

    Porém acho q as vezes o mais importante nao é a diferença de 10, 20% de um restaurante a outro. Os dois restaurantes citados colocaram em suas cartas vinhos que comparados ao já conhecidos grandes vinhos do Chile custam a metade do preço e mais que isso com produçoes em alguns casos até 40 vezes menos. Quando no Rio de Janeiro se encontra um top chileno por R$ 328 ou mesmo R$ 390. Almaviva, Don Melchor, Sena. A comparaçao deve ser justa e direta.

    A minha idéia aqui nao é fazer marketing sobre os vinhos da Terramatter, mas sinceramente quando penso q dois dos maiores profissionais cariocas, decidem investir no negócio de restaurante, comprar máquinas caríssimas para fazer algo diferente, e apostar em vinhos seja de qual importadora for, vinhos mais "desconhecidos" que custam para o consumidor final metade dos "mais conhecidos", acho que esse é o detalhe importante.

    Me desculpe pelo tamanho do texto e como comentei nos parágrafos acima sou a favor sim do preço justo, mas as vezes a comparaçao devería ser outra.
    Carlos Reis
    Enófilo
    Rio de Janeiro
    RJ
    12/01/2012 Estou pasmo com a diferença de preços nos dois estabelecimentos para aos mesmos vinhos. Espero que a Bottega del Vino ajuste seus preços e que o Vieira Souto mantenha sua atual política de preços (sem reajustar, por favor).

    Pretendo conferir ambos em breve.
    Valdiney C Ferreira
    L'Orangerie
    Rio de Janeiro
    RJ
    12/01/2012 Caro Oscar

    Penso que o EnoEventos está no papel que se propôs e tem razão. A expectativa é que entre um restaurante na Vieira Souto com mais conforto, espaço, mesas mais amplas e um Bar de Vinhos na Dias Ferreira sem aqueles requisitos, a diferença de custos operacionais levaria o segundo a ter preços mais competitivos, particularmente nos vinhos.

    Estive lá no sábado (Bottega del Vino) com alguns amigos clientes do outro restaurante do Dionisio e eles chegaram à mesma conclusão do EnoEventos, mas comparando com o Duo. A lista de vinhos com poucas exceções está um pouco salgada influenciando decisivamente na conta final que fica no nível de restaurantes de 1ª linha da cidade. Posicionamento da marca Dionisio? Sei lá?

    O EnoEventos informa e o público consumidor decide se topa ou não.

    Destaque para o serviços do vinho feito pelo próprio Dionisio e o serviço de mesa do Waldir que como sempre mantiveram o alto nível.

    Também tive problemas com os vinhos em taça (não havia nada rosé pronto para o serviço), mas isto são detalhes que certamente serão ajustados.

    Abraços, Valdiney
    Osvaldo Sandim
    Enófilo
    Rio de Janeiro
    RJ
    12/01/2012 Caro Oscar,

    Parabéns pela imparcialidade e, sobretudo, pelo profissionalismo em tuas análises. Torço para que o tanino não as modifique ao longo do tempos (ou dos goles).

    Abração. Sandim.
    Paulinho Gomes
    SBAV
    Visconde de Mauá
    RJ
    12/01/2012 Ainda não tive a oportunidade de sentar nas cadeiras das duas casas, mas pelo visto o ano de 2012 começou com opções apimentadas. De qualquer forma o bom do vinho é isso.

    Parabéns Dionísio, Joãozinho e Oscar.
    Marcelo Gil
    Chateaux Bistro (Itaipava)
    Petrópolis
    RJ
    20/01/2012 JÁ TIVE A OPORTUNIDADE DE TRABALHARMOS JUNTOS E SEI O PROFISSÍONAL QUE O DIONISIO É. HOJE TENHO MEU PRÓPRIO NEGÓCIO E GRANDE PARTE DO MEU SUCESSO AGRADEÇO A ELE.

    ACHO QUE TUDO FOI UM GRANDE MAL ENTENDIDO.

    UM GRANDE ABRAÇO
    Anselmo Carneiro
    Enófilo
    Rio de Janeiro
    RJ
    23/01/2012 PARABÉNS DIONÍSIO E NICOLA!

    Conhecendo a competência, profissionalismo, paixão, talento e garra que os dois possuem, tenho certeza que a casa estará azeitada em pouquíssimo tempo. E que os próximos comentários do EnoEventos serão justamente de fazer o que o site se propôs a fazer, ou seja, utilizar os preços do Bottega del Vino como referência para os comparativos com os demais restaurantes... e as notícias a respeito do Bottega del Vino serão excelentes.

    Grande abraço e $uce$$o!
    Anselmo Carneiro
    Danton Magalhães
    Empreário
    Niterói
    RJ
    23/01/2012 Oscar,

    Estou meio atrasado no comentário. Como você é rápido, existem muitas outras matérias após essa da polêmica.

    Na minha opinião, o bom para o Cliente e para seus amigos do EnoEventos seria comparar o preço de ambos com o sobrepreço da garrafa (considerando numero de taças) a partir do importador. Isso seria o justo. Comparar o que já está 50, 60 70 ou 100% acima não dá a idéia exata do que seria o preço justo.

    Parabéns por levantar a lebre.

    Abraços
    Danton
    EnoEventos - Oscar Daudt - (21)9636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br