De frente pro mar
Parte de uma leva de vários restaurantes que abriram as portas no finalzinho do ano passado, o Vieira Souto é, de longe, o mais sofisticado e o mais bem localizado, plantado na avenida de mesmo nome que margeia a internacionalmente cantada e decantanda praia de Ipanema.

A casa está muito bonita, a decoração é moderna, bastante "clean" e elegante. São duas as salas no térreo (esqueci de conferir se há atendimento no segundo andar). Ao fazermos a reserva - é claro! - pedimos uma mesa de frente para o mar. Pedimos, ganhamos e nos arrependemos: a sala da frente é acanhada, com apenas 4 mesas, e você se sente como se estivesse em um anexo, no lado B. E, em uma noite chuvosa, nem da vista do mar se pode desfrutar. A ação toda se passa no grande e bonito salão dos fundos. Eu me arriscaria a dizer que o Vieira Souto é um restaurante de costas pro mar!

A melhor carta de vinhos
João de Souza, o sócio da casa, é useiro e vezeiro de ter suas cartas premiadas e ser considerado o melhor sommelier do Rio de Janeiro. E desta vez, João ainda contou com a colaboração de nosso colunista Alexandre Lalas. Não poderia ter dado outra: o Vieira Souto tem a melhor carta do Rio de Janeiro! E em todos os aspectos: qualidade, originalidade, variedade e preço. É um trabalho para se aplaudir de pé!

A carta não esquece que estamos no Brasil e traz diversas e muitas vezes desconhecidas opções nacionais: são 13 tintos e 8 brancos - e brancos tranquilos, o que é quase impossível de se encontrar em outras casas.

Mas o foco mesmo são os vinhos do Velho Mundo. Páginas e mais páginas de rótulos onde é possível encontrar muitas alternativas por menos de 100 reais: são 30 brancos e 38 tintos para caber no bolso de todo o mundo. Considerando-se que estamos falando de um sofisticado restaurante situado na praia de Ipanema, chega a ser surpreendente.

São 22 as opções de vinhos em taça, com preços que iniciam em 13 reais. Mas há também uma seção da carta, denominada de Vinhos especiais, onde o topo da pirâmide pode encontrar aqueles rótulos mais exclusivos e onde os preços podem ir às alturas. Ao final da matéria, apresentamos fotos da carta com os vinhos brancos e tintos para aqueles que pretendem conhecer a nova casa já poderem ir se divertindo com a escolha da bebida.

Escolhemos para nosso jantar um branco maravilhoso que eu conheci na Vini Vinci de 2011: o Argiolas S'Elegas Nuragus di Cagliari 2009, um vinho com inebriante nariz e uma boca cremosa, encorpada e demorada. E o precinho era tentador: 79 reais! Eu nem deveria contar isso, mas estávamos em dois e consumimos duas garrafas dele! Considerando que a importadora vende esse vinho para o consumidor final por 60 reais, dá para ver que a margem é honestíssima.

Entusiasmado com os preços, resolvi aplicar a metodologia de avaliação de cartas de vinho utilizada em nossa recente matéria Classificação dos restaurantes: onde o vinho custa menos? e o Vieira Souto se saiu prá lá de bem. Se tivesse participado do estudo, à época, ele teria papado o segundo lugar no Rio de Janeiro, atrás apenas do Salitre! Aqui de público, parabenizo o João e o Lalas.

Ajustes prá que te quero
Contrastando com tudo mais - a privilegiada localização, a bela casa, o ambiente requintado, a espetacular carta de vinhos e a comida que viria a seguir - o couvert é sofrível. Em um tempo em que os restaurantes se esforçam para deixar a sua assinatura logo na chegada, com petiscos performáticos e criativos, a gente estranha, mas entende que é escolha da casa optar pelo minimalismo burocrático: um potinho de manteiga e duas pastinhas dispensáveis. No entanto, o que não se pode perdoar é a cesta de pães: com tipos variados - francês, pizza branca, grissini, com azeitona - absolutamente nenhum se salvou, todos com modorrenta textura, como se estivessem dormindo há muitas horas. Joãozinho, por tanto tempo acostumado com os especialíssimos pães do Terzetto, está necessitando fazer de imediato uma intervenção branca no couvert.

Mas a reputação se salvou nas entradas. As Tiras de lula em sua tinta com polenta eram espetaculares, com um toque defumado que eu não sei de onde saiu. E o Suflê de bacalhau gratinado com alho porró, crocante por fora, aveludado por dentro e com uma cor tentadora, era a quintessência da sutileza.

Nos pratos principais, experiências conflitantes. O Badejo grelhado com molho de laranja kinkan e nhoque de espinafre era surpreendente e delicioso. Já o Risotto com cavaquinha, polvo, camarão e lulas, apesar dos sofisticados ingredientes, era apenas passável, com as lulas mais parecendo terem sido pescadas nas seringueiras do Jardim Botânico.

Os preços dos pratos não são exatamente baratos, como se poderia esperar em função dos preços dos vinhos, mas levando-se em conta todos os custos envolvidos - que devem ser bem salgados - pode-se considerá-los bastante honestos.

Oscar Daudt
A nova casa
O grande salão O bar O "lounge" externo
O jantar
Couvert Fettine di calamari al nero di seppia con polenta Budino di baccalà con porri
Badejo in salsa di arancia kunquat Risotto tutto mare Argiolas S'Elegas Nuragus di Cagliari 2009
O menu
Entradas Massas frescas Massas de grano duro e risottos
Peixes Carnes
A carta de vinhos
(quase completa)
Brancos italianos Brancos franceses Brancos franceses
Brancos brasileiros Brancos de outros países (Velho Mundo) Brancos de outros países (Novo Mundo)
Tintos italianos Tintos italianos Tintos franceses
Tintos franceses Tintos brasileiros Tintos de outros países (Velho Mundo)
Tintos de outros países (Novo Mundo) Tintos de outros países (Novo Mundo)
Vinhos em taça Vinhos em taça
Comentários
Cris Beltrão
Bazzar
Rio de Janeiro
RJ
11/01/2012 Sou fã do João e do Lalas. Estou LOUCA pra conhecer a casa!

Deixa eu voltar da viagem com a sede habitual pra você ver se não acabo com os estoques!
Oscar Daudt
EnoEventos
Rio de Janeiro
RJ
11/01/2012 Longe de mim querer pegar no pé da Bottega del Vino, mas considero quase que uma obrigação minha com os leitores do EnoEventos alertar sobre os preços comparados desse bar com os do restaurante Vieira Souto. Acho mesmo que é um serviço que presto aos próprios donos do bar para que possam adaptar seus preços a uma realidade de mercado.

Onde vocês avaliam que os preços deveriam ser maiores:

  • Em um restaurante ou em um bar de vinhos?
  • Em um estabelecimento localizado em um finíssimo casarão à beira do mar de Ipanema ou em outro num pequeno espaço da Dias Ferreira?
  • Em uma casa com mesas amplas e espaçadas ou em outra com mesinhas pequeninas coladas umas às outras?

    Eu não pestanejaria em ficar com a primeira opção das 3 perguntas. Mas não é isso o que aconteceu. Comparando vinhos existentes em ambas as cartas, constata-se que os preços praticados na Bottega del Vino são em média 30% superiores aos do Vieira Souto. E em alguns casos, 50% ou mais caros. Confiram os valores na tabela abaixo:
  • André Jambeiro
    Enófilo
    Valença
    RJ
    11/01/2012 Caro Oscar,

    Reparei que na lista dos tintos franceses, consta o Morgon feito pelo Marcel Lapierre por estratosféricos R$ 2.010,00. Está correto isso? Não terá sido erro de digitação? Ou será que o falecimento do produtor em questão inflacionou o preço do vinho?

    André, eu também notei esse valor absurdo, mas nem esquentei a cabeça pois fiquei quase certo de que seria um erro de digitação. Espero que o restaurante confirme isso para nós. Abraços, Oscar
    Carlos Reis
    Enófilo
    Rio de Janeiro
    RJ
    12/01/2012 Estou pasmo com a diferença de preços nos dois estabelecimentos para aos mesmos vinhos. Espero que a Bottega del Vino ajuste seus preços e que o Vieira Souto mantenha sua atual política de preços (sem reajustar, por favor).

    Pretendo conferir ambos em breve.
    Roberto Meirelles
    Enófilo
    Rio de Janeiro
    RJ
    12/01/2012 Já conheci o Vieira Souto. Tomei um francês chamado Chateau Haura 2009, gostoso. O ambiente e a comida são legais.
    José Carlos Loja
    Arquiteto
    Rio de Janeiro
    RJ
    13/01/2012 João é o maior craque do Rio. Todas as opiniões sobre os vinhos estão corretíssimas. No dia 08/01 estivemos lá e só o vinho foi perfeito.

    Clientes de roupa de praia. Nossa mesa reservada para as 15hs lá estava, mas após sentarmos, o primeiro garçon só chegou depois de 30 minutos; drinks demoraram 40 minutos. 4 pratos, 2 ótimos, 2 de peixe salgados. Mais 30 minutos para sobremesas, e esqueceram o café pedido.

    A maioria dos clientes vem do restaurante Terzetto, com saudades do João. O serviço não pode ser de principiantes e sem garçom responsável por praça. Todos fazem de tudo e não fazem nada para não se comprometer. Restaurantes de luxo não podem mais abrir sem trenamento da equipe no Rio de Janeiro. Colocam na mídia o restaurante antes de acertar a equipe, isto é um tiro no pé.

    Por favor, alguma cadeira ou banco no bar.

    Pode ainda dar certo, José Carlos.
    Yann Lesaffre
    Consultor gastronômico
    Rio de Janeiro
    RJ
    13/01/2012 Caro Oscar

    Gostei muito dessa iniciativa de colocar as fotos dos cardápios nas matérias que você e o Bruno estão tendo.

    Quanto ao Vieira, ainda não fui, mas com certeza meu amigo Joõzinho vai aparar essas arestas.

    Também acho que meus amigos Dionísio e Nicola já estão trabalhando nos acertos devidos.

    Boa sorte a todos
    Valdiney C Ferreira
    L'Orangerie
    Rio de Janeiro
    RJ
    16/01/2012 Vou marcar a saideira de amigos franceses, no próximo final de semana, no Vieira Souto. Até lá conto que os ajustes necessários apontados já tenham sido colocados em prática. Este debate foi ótimo para deixar-me de sobreaviso sobre os pontos fortes e fracos da casa.

    Mas, confio mesmo é no time do vinho. Por causa deles é que o Vieira Souto foi a opção escolhida. Afinal ter acesso a uma carta elaborada pelo Joãozinho (Sommelier de seleção) e Lalas (Jornalista especializado em vinhos profissional e sério até nas fotos), com os preços avalisados pelo EnoEventos, pelo mesmo para mim é o bastante.

    Embora no ítem "preços", eu pense que o Oscar colocou a corda no pescoço porque no Rio os preços em geral enlouqueceram e a enogastronomia que se pretende de luxo da Zona Sul da cidade decididamente não é a exceção!

    Abraços, Valdiney
    Tito Villar
    Enófilo
    Rio de Janeiro
    RJ
    17/01/2012 Oscar, praticamente é uma redundância hoje no Rio, fundo de investidores em todas as areas, principalmente na gastronômica. Porém os serviços, na grande maioria, são deficientes.

    Nas cartas de vinhos de alguns bares e restaurantes porém já encontramos preços mais palatáveis.

    Parabenizo o João por abrir espaço na sua carta para nossos pequenos produtores. Em uma degustação informal com ele, provamos excelentes vinhos, e muitos deles foram selecionados para sua carta. São pequenos produtores que estão fazendo bonito lá fora. Este ano teremos alguns eventos no Rio com vários deles.
    José Paulo Schiffini
    Enófilo da velha guarda
    Rio de Janeiro
    RJ
    23/01/2012 Caro Oscar,

    Todos me conhecem como defensor de vinhos honestos, bons e baratos e quando encontro vinhos que se qualificam dentro de tais categorias não hesito em recomendar comprar de caixa. Todos me conhecem também por recomendar que bebam vinhos melhores a cada dia.

    Também tenho defendido a menor participação dos governos através de taxas, impostos e selos nos negócios de vinhos; pois considero o vinho na mesma categoria de alimentos, em alguns casos até como remédios e não na categoria de “hard liquor” ou de culpado pelos iniciantes aos abusos na direção ou até para justificar a lei seca. Aprendi com o professor Júlio da UFMG, enófilo pioneiro na divulgação e responsável direto no desenvolvimento do crescimento do mercado brasileiro de vinhos nos últimos 20 anos, através do Forum Enólógico.

    Reconheço seu maravilhoso trabalho com seu site EnoEventos que desde o início apoiei; mas acho que como crítico de vinhos você deveria ser mais imparcial nos seus comentários, pois se por um lado você presta um enorme serviço à comunidade relacionada ao vinho no Brasil, por outro quando você emite sua opinião comparando contundentemente dois ou mais estabelecimentos apenas relacionando o preço final, você presta um pequeno ou até grande desserviço aos investidores deste negócio: produtores nacionais, distribuidores, lojistas, restauranteurs, etc...

    Saiba divulgar os resultados de suas enquetes, realce as discrepâncias, mas saiba sair de cena e deixar seus leitores comentarem e recomendarem este ou aquele estabelecimento; ou você quer regular o mercado, ser o “dono da verdade”, que eu bem sei que não é de seu feitio.

    Estimule o mercado a crescer e não provoque ninguém contra ninguém.

    Schiffini em dia de reflexão vínica.

    Pois é, Schiffini, e todos me conhecem por defender preços honestos, comparar importadoras, restaurantes, supermercados, para que os leitores saibam onde comprar ou beber vinhos mais baratos. Enfim, defender os direitos dos consumidores de vinhos e não das empresas.

    Discordo quando você afirma que minhas análises são parciais. Quando comparo empresa com empresa, limito-me a comparar valores e é impossível haver parcialidade nisso. E se um restaurante ou importador ou supermercado ou loja abusa nos preços, considero minha obrigação denunciar.

    Esse é o nicho que escolhi para o EnoEventos e não pretendo abdicar dele, pois o sucesso do portal, com mais de 4.800 cadastrados e posicionado com um dos sites de vinho mais acessados do Brasil me indicam que estou no caminho certo.

    Abraços, Oscar
    Carlos Reis
    Enófilo
    Rio de Janeiro
    RJ
    27/01/2012 Oscar,

    Por favor, continue com seu valioso e INDEPENDENTE serviço aos consumidores (e até aos empresários que podem se ajustar, quando for o caso) de alertar quanto aos preços dos vinhos! Crítica e enojornalismo independentes é o que precisamos!

    Carlos
    Fátima Mendonça
    Advogada-Winemaker-Social Media
    Fortaleza
    CE
    03/01/2013 Eu tb curto muito a maneira como conduz o EnoEventos, Oscar! E acho que o sucesso desse portal reside justamente ai, não havendo pq mudar a sua tônica.

    Acrescento, ainda, que admiro a sua transparência e personalidade ao enfrentar as críticas aqui colocadas! Avante, sempre! Feliz 2013!

    Obrigado pela força. E feliz 2013 para você também!
    EnoEventos - Oscar Daudt - (21)9636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br