Matérias relacionadas
Brasil
Zahil

Profissionalismo
Sergio Luiz de Bastiani é - podemos dizer - um "garagista", pois sua pequena Don Abel elabora, no total, 35 mil garrafas por ano de vinhos que apostam na qualidade. No entanto, seu perfil é bem distante daquele a que estamos acostumados a conhecer: ele não herdou nenhuma vinícola e nem descende de uma família de vinhateiros.

Até poucos anos, Sergio era um executivo de empresa multinacional, quando então decidiu planejar a virada de seu futuro. Em 1999, começou a plantar uvas em Casca - cidade desconhecida até por mim, que sou gaúcho - e contratou o respeitado agrônomo Ciro Pavan para projetar os vinhedos e a vinícola. Em 2005, jogou o emprego para o alto e inaugurou a Don Abel. Para fermentar as uvas, escolheu ninguém menos do que Silvânio Dias, o festejado enólogo que lançou a recém-nascida Antônio Dias para o estrelato nacional. Sergio explica: "O projeto é estritamente profissional, aproveitando a experiência que tive na empresa americana, e contratamos os mais capacitados nomes do mercado."

Auxílio luxuoso
Uma das maiores dificuldades para as pequenas vinícolas brasileiras é a distribuição de seus vinhos nos centros consumidores. A maioria pena por não alcançar esses mercados. A venda pela Internet não deslancha devido aos absurdos custos de frete que inviabiliza as compras. É um problemaço que até hoje não foi atacado, de forma global, com a seriedade que está exigindo. E enquanto isso, cada uma se vira como pode...

E a sorte começou a mudar para a Don Abel durante a recente edição da Expovinis. A sommelière Elaine de Oliveira esteve na feira representando a Zahil Rio de Janeiro e encantou-se com os vinhos dessa vinícola. A partir daí, a negociação andou a jato e há dois meses a importadora passou a distribuir os vinhos de Sergio de Bastiani aqui em terras fluminenses. Com justiça, o produtor a chama de "minha fada-madrinha".

E para apresentar, oficialmente, os novos componentes de sua carteira, a Zahil promoveu dois jantares no CT Brasserie, no Fashion Mall, com a presença do produtor, que tiveram lotação completa nas duas edições, confirmando o interesse dos cariocas pela produção nacional. É bom lembrar que, com a nova aquisição, a Zahil passa a distribuir duas vinícolas brasileiras, pois é também representante da Adolfo Lona. É, parece que pouco a pouco as coisas estão mudando, e para melhor...

Don Able (sic)
Elaine estava certa e os vinhos são surpreendentes e de alta qualidade. O Don Abel Chardonnay Reserva 2011 eu já conhecia em sua safra 2008, apresentado que fui pelo sommelier João de Souza. Era ótimo e agora está melhor ainda. Sem madeira, o vinho entrega a Chardonnay em toda a sua pureza, com excelente acidez, bom corpo e explosão floral. Um espetáculo! E Sergio garante que o da safra 2012 - uma das melhores de todos os tempos na Serra Gaúcha - vem para arrebentar a boca do balão!

Gostei muito do Don Abel Cabernet Sauvignon Premium 2005 que, apesar de sua avançada idade, não apresentava sinais de evolução. Sem passagem por madeira, era fresco e com muita fruta.

Mas o grande momento da noite foi o excelente Don Abel Rota 324 Cabernet Sauvignon 2005, que homenageia a RS-324 que passa às portas da vinícola e faz parte da Rota da Uva e do Vinho. Esse sim, tem 6 meses de passagem por barricas francesas novas, perfeitamente integrada, deixando sobressair as frutas condimentadas, embaladas em um toque aveludado. Não é a toa que foi o 3º colocado no Top Ten da Expovinis 2012. Esse vinho vai longe...

Ainda teve um Don Abel Espumante Moscatel acompanhando a sobremesa, mas eu não emito opinião sobre vinhos doces.

Oscar Daudt
29/08/2012
Os vinhos
Don Abel Chardonnay 2011
Casta: 100% Chardonnay
Don Abel Cabernet Sauvignon Premium 2005
Casta: 100% Cabernet Sauvignon
Don Abel Rota 324 Cabernet Sauvignon 2005
Casta: 100% Cabernet Sauvignon
Don Abel Espumante Moscatel
Casta: 100% Moscato
O jantar assinado por Didier Labbé
Creme de baroa e rapadura Mil-folhas de queijo gorgonzola e pera Penne pomodoro, mozzarela de búfala e pesto
Filet de cordeiro, crosta de nozes, mini-cebolas, purê de abóbora Ovo nevado, creme anglaise com frutas vermelhas
Os personagens
Rosana Rodrigues, representante da Zahil
Sérgio de Bastiani e a princesa Maritza de Orléans e Bragança Sommelier Alexsander de Oliveira
Comentários
Eugênio Oliveira
Enófilo
Brasília
DF
29/08/2012 Caro Oscar,

Os vinhos da Don Abel já são divulgados no Rio de Janeiro desde 2006 quando o Jonathan Nossiter os colocou na carta da Roberta Sudbrack (e talvez no Aprazível) e o Ed Motta os postou no blog semanal que ele mantinha na Veja.

Que bom que a Zahil está representando-os agora. Você sabe dizer se é só na Zahil do Rio ou em todas do país?

Abraço

É só no Rio de Janeiro, mesmo. Abraços, Oscar
Silvestre Tavares Gonçalves
Blog Vivendo a Vida
Vitória
ES
29/08/2012 Boa tarde Oscar, tudo bem?

Meu primeiro contato com os vinhos da Don Abel foi em outubro de 2011, ao provar às cegas o Rota 324 a convite de um amigo(clique aqui), no qual surpreendeu positivamente na taça, repetindo a dose na ExpoVinhos 2012.

Parabéns ao vinicultores brasileiros que vem a cada dia crescendo em qualidade.

Silvestre, é bom ver vinhos brasileiros assim com tanta qualidade! Abraços, Oscar
Rafael Mauaccad
Enófilo
São Paulo
SP
29/08/2012 Oscar,

US Route 66 é a estrada norte-americana decantada pela sua importância, por cruzar o país de Chicago a Los Angeles, e permanece em nosso imaginário pelo cenário dos filmes Easy Rider e Baghdad Cafe, alem de nela terem sido construídos o primeiro Mc Donald's e Motel.

A homenagem da Don Abel à estrada RS-324 nos traz a esperançaa de seus vinhos poderem alcançar muito além da Rota da Uva e do Vinho, cruzando de sul a norte o nosso país.

Pesquisando no Google, encontrei diversas críticas muito favoráveis à vinícola e seus vinhos, como a sua, e este oportuno comentário na Rádio CBN, durante o programa de Carlos Sardenberg, feito pelo crítico e consultor de vinhos Jorge Lucki, a respeito de harmonização de prato da cozinha brasileira com o vinho Rota 324. Para ouví-lo, clique aqui.

Ao Sergio Luiz, recomendo que viabilize a melhor condição de frete para colocar seus vinhos em São Paulo, enquanto a Zahil-SP esteja estudando a disponibilidade de distribuí-los, pois a demanda será expressiva após esta divulgação pelo EnoEventos. Boa sorte!!

Abraços,
Rafael

E digo mais, Rafael: não só a Zahil São Paulo poderia seguir o exemplo de sua irmã carioca, como mais e mais importadoras poderiam colocar vinhos brasileiros em suas carteiras, como forma de unir um setor que anda tão partido. Abraços, Oscar
José Paulo Schiffini
Enófilo da velha guarda
Rio de Janeiro
RJ
30/08/2012 Fiquei muito feliz em ver que a vinícola Don Abel está conquistando seu lugar de honra no Rio de Janeiro.

Tive a chance de conhecer os primeiros rótulos da Don Abel, junto com o Odir (sommelier/gerente do Rincão Itaipú) e colocamos na carta desde então. Sérgio, você está de parabéns!

De parabéns por nos brindar com vinhos que na última Expovinis brilharam mais que os líderes do setor. De parabéns por ser uma voz divergente dentro do IBRAVIN, contrário às salvaguardas e favorável à redução de impostos dos insumos dos vinhos nacionais.

Schiffini
Sergio de Bastiani
Proprietário da Vinícola Don Abel
Casca
RS
30/08/2012 Agradeço o apoio de todos, os elogios, as críticas construtivas, tudo soma para colocarmos os vinhos nacionais de qualidade onde realmente merecem. Sabemos dos desafios de produzirmos bons vinhos, mas isso é possível e as boas safras dos últimos anos têm demostrado isso.

Agradeço em especial à Zahil - RJ na pessoa de seu Diretor, Sr. Antonio Campos, e sua equipe que abraçaram literalmente a Don Abel e estão fazendo um trabalho maravilhoso. Somos muito gratos.

Ao Oscar Daudt, nosso agradecimento todo especial.

Forte abraço a todos, e viva o bom vinho nacional.
Sergio de Bastiani
Vinicola Don Abel
Antonio Carlos Ferreira Lopes
Administrador
Rio de Janeiro
RJ
30/08/2012 Caro Oscar,

A Zahil RJ tem que correr para atualizar o site com os vinhos da Don Abel que serão vendidos pois até agora não há nenhuma citação de qualquer vinho brasileiro no site deles.

Pois é, Antonio Carlos, acho que a coisa não é tão simples assim. Embora para nós, consumidores, a Zahil pareça ser uma empresa só, na verdade elas são independentes. Há a importadora de São Paulo e a distribuidora do Rio que, apesar do mesmo nome, não são a mesma empresa.

A distribuição, tanto dos vinhos da Don Abel, quanto do Adolfo Lona, é uma iniciativa da empresa carioca. Como o site é da importadora paulista, acho que esses vinhos nunca aparecerão por lá. Pelo menos, foi isso o que eu entendi.

Abraços, Oscar
Carlos Stoever
Enófilo e Advogado
Porto Alegre
RS
03/09/2012 E nós, gaúchos, onde encontramos aqui em Porto Alegre? Casca fica a 250km...

Carlos, tem aquela loja do Mercado Público que é o melhor lugar para se comprar vinhos brasileiros em Porto Alegre. Mas a vinícola me avisa que para encontrar toda a linha, com os novos lançamentos, só na loja virtual da empresa: www.donabel.com.br

Abraços, Oscar
Cesar Roberto Paganella
Empresário
Erechim
RS
29/07/2014 Bom dia para vocês.

Tive o privilégio de participar de um almoço na cantina Don Abel, onde eu e minha esposa e filha saboreamos um primo-canto. Fui surpreendido pela qualidade do vinho que degustei, um Gran Reserva safra de 2005, simplesmente delicioso.

Quero parabenizar o Sérgio e dizer que cada vez mais o RGS desponta no cenário de grandes empresários no ramo de vinhos e de pessoas sábias e abnegadas pelo que fazem.

Abraço.
EnoEventos - Oscar Daudt - (21)9636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br