Matérias relacionadas
Brasil

Pelo interfone
Há alguns meses, estava eu quieto em casa, quando o porteiro me interfonou: "Chegou uma caixa de vinho." Fiquei surpreso, pois não havia comprado nada, não estava esperando nenhuma entrega e nem ao menos era Natal. Como ele me conhece bem, completou: "E é das grandes!" Foi a senha para eu descer correndo e conferir o que havia chegado.

Era uma caixa de vinhos enviada pela Vinícola Almaúnica como divulgação de seus produtos. A alegria foi grande, pois eu já tinha ouvido falar muito bem desses vinhos e ainda não havia tido a oportunidade de conhecê-los.

Na recente viagem enogastronômica à Serra Gaúcha, essa vinícola não estava em nosso programa original, mas eu pedi para conhecê-la e os organizadores, gentilmente, remanejaram a agenda e abriram uma janela para que pudéssemos visitá-la. Foi um espetáculo e eu a incluí nos melhores programas enoturísticos da região (clique aqui para conferir).

Alma gêmea
Márcio Brandelli e Magda Brandelli Zandoná são irmãos gêmeos e filhos de Laurindo Brandelli, o famoso Don Laurindo. Márcio era sócio da vinícola que leva o nome de seu pai, mas decidiu seguir uma carreira nem tão solo assim: vendeu sua parte na Don Laurindo e junto com sua irmã e sua mulher Denise, inauguraram a nova vinícola em 2008, iniciando a produção 2 anos depois.

A sede impressiona por sua modernidade e beleza. Situada às margens da via principal do Vale dos Vinhedos, no alto de uma colina, com as videiras plantadas à frente, como se fossem um jardim, é uma imagem de grande imponência. Num Vale em que predominam prédios conservadores, imitando os castelos medievais, a Almaúnica cria um novo paradigma em termos de arquitetura. Lá tudo é novo, funcional, bem planejado e muito bonito. É como um cartão de visitas para a excelência dos vinhos elaborados.

Quando lá chegamos, fomos recebidos por Magda, que conduziu uma maravilhosa prova. E o que mais me surpreendeu, além dos vinhos, foi saber que uma vinícola assim tão nova, tem 95% de suas vendas dirigidas diretamente ao consumidor, seja pela Internet, seja pelo varejo. E tudo por conta de uma divulgação boca-a-boca entre os apreciadores.

Degustação em ritmo de samba
Voltando da viagem e ainda com os aromas e sabores sambando na lembrança, convidei alguns amigos, durante o Carnaval, para conhecer os vinhos da Almaúnica e eles, entre uma Escola e outra, chegaram animados, com os cabelos cheios de confete, para uma deliciosa prova. Foram 5 os vinhos que degustamos e os elogios foram unânimes em relação à qualidade da carteira da vinícola.

O grande campeão do Carnaval foi o Almaúnica Syrah Reserva 2011 (R$55), escolhido por todos os jurados como o melhor nos quesitos elegância, equilíbrio, maciez e frescor. Os aromas frutados, de baunilha, café e especiarias foram as alegorias que encantaram as arquibancadas. Muitos apreciadores gostam de utilizar, para escolher o melhor vinho de uma prova, o critério não-oficial de "a primeira garrafa que termina" e nesse ítem, também, o Syrah conquistou o Estandarte de Ouro.

Quando o Almaúnica Cabernet Sauvignon Reserva 2009 (R$40) entrou na avenida, a torcida ensaiou um grito de "É campeão!", pois os aromas que emanavam das taças eram sedutores, com muita fruta, canela e flores fazendo um conjunto com a suculência, a persistência e a harmonia da boca. Mas o júri foi irredutível e o Cabernet ficou com a vice-liderança.

O Almaúnica Malbec Reserva 2011 (R$40), terceiro colocado no campeonato, ganhou também o troféu Simpatia, pois era um vinho muito macio, floral e com toques de madeira. E foi a segunda garrafa que terminou.

O quarto lugar foi agraciado ao Almaúnica Pinot Noir Reserva 2011 (R$40), tendo em vista que alguns jurados o penalizaram por não estar utilizando na taça as cores oficiais da Escola: visualmente, era impossível identificar a casta, pois a cor era bem fechada. Outros também tiraram preciosos décimos de pontos pela falta de tipicidade, muito embora salientassem que, dentre os blocos do Novo Mundo, este era um Pinot campeão.

A grande decepção ficou por conta do Almaúnica Merlot Reserva 2009 (R$55), cuja comissão de frente estampava a nova denominação Vale dos Vinhedos e vinha precedido de altas expectativas. Mas o vinho não tinha o número mínimo de alas exigido pelo regulamento: era muuuuito curto. Além disso, estourou o tempo do desfile e foi a única escola a sobrar na garrafa.

Oscar Daudt
15/02/2013
Os vinhos
Almaúnica Pinot Noir Reserva 2011
Casta: 100% Pinot Noir
Amadurecimento: 8 meses em barris de carvalho francês novos
Região: Vale dos Vinhedos
Álcool: 13%
Preço: R$40
Almaúnica Malbec Reserva 2011
Casta: 100% Malbec
Amadurecimento: 12 meses em barris de carvalho, 50% franceses e 50% americanos
Região: Vale dos Vinhedos
Álcool: 13,5%
Preço: R$40
Almaúnica Syrah Reserva 2011
Casta: 100% Syrah
Amadurecimento: 12 meses em barricas de carvalho, 50% francês e 50% americano, metade novas e metade de segundo uso
Região: Vale dos Vinhedos
Álcool: 13,5%
Preço: R$55
Almaúnica Merlot Reserva 2009
Casta: 100% Merlot
Amadurecimento: 14 meses em barricas de carvalho novas francesas
Região: DO Vale dos Vinhedos
Álcool: 13%
Preço: R$55
Almaúnica Cabernet Sauvignon Reserva 2009
Casta: 100% Cabernet Sauvignon
Amadurecimento: 10 meses em barricas novas de carvalho francês e americano
Região: Vale dos Vinhedos
Álcool: 13%
Preço: R$40
Comentários
Matheus Tomaz Machado
Sommelier
Uberlândia
MG
15/02/2013 Boas e empolgantes análises Oscar, porém acho curioso como que o paladar e os sentidos de cada indivíduo podem julgar um mesmo vinho de maneiras diferentes.

Eu por exemplo, sou encantado com o Merlot D.O 2009 por que eu já acho ele um vinho cheio, saboroso, típico da casta, aromático, equilibrado, muito gastronômico e sem máscaras e quando já provei ele ao lado de vinhos nacionais e internacionais do mesmo nível, na minha opinião ele ainda se saiu muito bem e chegou até a superá-los em termos de custo/qualidade.

Já o Pinot Noir, quando provado junto de um amigo francês que vive na Borgonha, tirou suspiros e ganhou muito admiração por parte dele, que não teve a menor dúvida de comentar sobre sua semelhança com um Pomard.

Esses irmãos gêmeos elaboram vinhos de alto padrão de qualidade, equilíbrio, complexidade, possuem um nível de profissionalismo incomum para os dias de hoje e merecem meu respeito. Parabéns a eles e pra você por ter elaborado essa bela matéria!

Pois é, o que seria do azul se todos gostassem do amarelo? Abraços, Oscar
Carlos Alberto Amorim Jr
(via Facebook)
Brasília
DF
15/02/2013 Pelo visto, preciso organizar um regresso ao Vale dos Vinhedos e adjacências para conhecer as novas vinícolas e os novos produtos...
Andre Leonel Aquino
Enófilo e vendedor
São Paulo
SP
16/02/2013 Conheci os vinhos Almaúnica faz alguns anos, na Expovinis. Me foi servido o Shiraz Reserva, 2008 ou 2009, não me lembro, diretamente pelo senhor Márcio Brandelli, proprietário e competente enólogo.

Fiquei realmente surpreso pela elevadíssima qualidade. Fiz questão de indicar para muitos amigos por ser uma vinícola jovem (o primeiro Malbec sequer estava pronto, estava na barrica) e o vinho já ser tão bom.

Com certeza o mercado brasileiro de vinhos finos agradece, pois ações empreendedoras bem sucedidas, como a Vinícola Almaúnica, fazem nosso meio se desenvolver cada vez mais.
Fátima Mendonça
Advogada-Winemaker-Social Media
Fortaleza
CE
18/02/2013 Adorei a forma como apresentou esses destaques na Passarela do Samba, Oscar!!! :-)

Deixou-me curiosíssima... quero muito conhecer de perto esses destaques! E olha que estive no Sambódromo e perdi essa parte do desfile!!!

Ainda não os vi aqui em Fortaleza-CE... Vou procurar melhor!

Almaúnica me remeteu à Almaviva, alguma semelhança mais?

Fátima, nada a ver. São estilos completamente distintos. Bj. Oscar
Carlos Stoever
Advogado e Enófilo
Porto Alegre
RS
18/02/2013 Na sua opinião, este Syrah está mais para "Syrah" ou para "Shiraz"? França, Austrália ou Chile? Ou algo novo?

E quanto ao espumante - para mim, um dos melhores da Serra... O que achou?

Abraço!

Carlos, com certeza, muito mais um Syrah, com marcante elegância!

Quanto ao espumante, também achei maravilhoso o Almaúnica Nature. Por 48 reais a garrafa, é verdadeiramente um achado. Um dos melhores que provei na Serra.

Abraços, Oscar
Eduardo M Araujo
Certified Sommelier - Santa Adega Vinhos Finos
Florianópolis
SC
18/02/2013 É uma parada obrigatória para mim no Vale. Passo um bom tempo degustando e conversando com essa figura gente fina que é o Márcio. Sempre com uma surpresa lá do fundo do barril.

Tive o prazer de provar seu Syrah, seu Malbec e seu Pinot antes do lançamento e aprová-los.

Ah.. gostei das notas de prova, bem carnavalescas... rs

Abraços
Julio Berruezo
Enófilo
Rio de Janeiro
RJ
20/02/2013 Oscar, muito original a forma como você descreveu os vinhos.

Quando estive na Almaúnica, fui recebido pelo Márcio e tive a oportunidade de provar seus vinhos e o Syrah já era uma grande promessa, mesmo recém engarrafado.

Parabéns pela matéria. Abs.
EnoEventos - Oscar Daudt - (21)9636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br