Matérias relacionadas
Brasil

Filma nóis, Galvão
O namoro e o casamento do locutor esportivo Galvão Bueno com a Miolo foi tão noticiado no Brasil que todos os apreciadores de vinho devem estar carecas de saber. Mas sempre é bom lembrar o que aconteceu, principalmente quando se tem uma notícia auspiciosa e - pelo menos para mim - inédita, para contar ao final.

Galvão Bueno possuía uma área de terras na Campanha Gaúcha - a Bellavista Estate - lindeira aos vinhedos da Seival, pertencentes à Miolo. Grande apreciador de vinhos, o jornalista decidiu fazer uma parceria com a vinícola e iniciou a plantação de uvas em suas terras para serem vinificadas e comercializadas pela Miolo. O vinhos, da linha Bueno, foram lançados a seguir: um espumante brut, um Sauvignon Blanc, um Pinot Noir e um corte tinto.

Isso aconteceu em 2009 e a parceria deu tão certo, com tão bons resultados para ambos os lados, que agora no início de 2013, Galvão Bueno passou a ser, oficialmente, o 5° sócio do Miolo Wine Group, juntando-se às famílias Miolo, Benedetti, Tecchio e Randon.

Vai que é sua!
O locutor tomou a decisão estratégica de elaborar apenas vinhos da gama superior, optando pela qualidade em lugar da quantidade. Atualmente, a produção da Bueno Wines é de cerca de 60.000 garrafas ao ano, distribuídas pelos 4 vinhos acima listados. Algumas uvas ainda são plantadas pela Miolo, mas a meta é atingir, até 2016, 100% de uvas próprias, sempre vinificadas pelo grupo Miolo. Outra meta é aumentar a produção para um teto de 200.000 garrafas ao ano e o lançamento de outros 4 rótulos. E só!

Eu estava curioso para saber como era a definição de um novo vinho da Bueno e aproveitei a degustação promovida pela vinícola para perguntar a Marcio Marson, gerente da marca, que comandava a prova. Explicou-me ele: "Galvão Bueno define o vinho que deseja e Adriano Miolo transforma o sonho em realidade."

Haaaaja coração!
Provamos os 4 vinhos da Bueno (e mais 1 que eu conto adiante) e fiquei vivamente entusiasmado com o que foi servido em minhas taças. Dois deles eu faço questão de destacar.

O primeiro foi o Bueno Bellavista Estate Pinot Noir 2011, vinho sedutor, com 13,5% de álcool bem equilibrado e que passa apenas um átimo em madeira: mínimos 3 meses. Eu, que não costumo me derreter por Pinots do Novo Mundo, fui arrebatado pela elegância europeia, a maciez e a duração desse vinho tão gastronômico. Era como um gol estufa-rede!

O segundo, o Bueno Bellavista Estate Paralelo 31 2009, é um corte de 60% Cabernet Sauvignon, 30% Merlot e 10% Petit Verdot, assinado pelo alquimista Michel Rolland. Isso é prá quem pode! Um vinho que repousa 12 meses em carvalho francês e adquire uma complexidade, uma invejável integração, um equilíbrio perfeito e mostra o porquê de a região da Campanha Gaúcha ser a aposta para a elaboração dos grandes vinhos brasileiros. Toques florais, condimentos, muita fruta madura e chocolate compõem a paleta olfativa que introduz o vinho. Bandeira xadrez!

E quem é que sobe?
Bem, amigos da Rede EnoEventos, quem sobe, na minha opinião, é Galvão Bueno, que acaba de se tornar proprietário de um vinhedo em uma das mais prestigiadas denomimações do mundo: Brunello di Montalcino! E para vinificar seus vinhos, contratou o cultuado enólogo Roberto Cipresso, que exibe em seu currículo os nomes da Ciacci Piccolomini d'Aragona e de nossa vizinha bodega argentina Achaval Ferrer. O enólogo é também proprietário da Fattoria La Fiorita, também em Montalcino, onde os vinhos de Galvão Bueno são vinificados.

Na prova, foi-nos servido o Bueno La Valletta Roberto Cipresso 2009, um Sangiovese IGT Toscana que, conforme o apresentador, poderia ser um Rosso di Montalcino mas que por capricho do enólogo foi rebaixado a IGT. Confesso que essa parte eu não entendi muito bem... Independente da classificação, seus aromas encantam com rosas, canela e frutas bem maduras que fazem a volta de apresentação de uma boca redonda, com deliciosos taninos e muita suculência.

E, em breve, a carteira italiana do locutor será acrescida de nada menos do que um Brunello di Montalcino DOCG. Mais uma vez, é prá quem pode!

Oscar Daudt
14/03/2013
Os vinhos
Espumante Bueno Cuvée Prestige Brut Bueno Bellavista Estate Sauvignon Blanc 2012 Bueno Bellavista Estate Pinot Noir 2011
Bueno Paralelo 31 2009 Bueno La Valletta Roberto Cipresso 2009
Os participantes
Márcio Marson, da Bueno Wines, comandou a degustação Arley Pereira, consultor da Miolo Mauren Oliveira, executiva de vendas da Miolo
Valmir Pereira, do La Fiducia Jean-Pierre Frivia, do Le Pré Catelan Fábio Azevedo, executivo de vendas da Miolo
Thiago Marques, sommelier do Pax Lagoon Deniley Ibarra Valdes, sommelier do Othon João, sommelier da Champa
Comentários
Ary Follain Junior
Enófilo
Rio de Janeiro
RJ
14/03/2013 São tantos os bons vinhos do mundo, é tão grande a lista dos que me faltam conhecer, que, sinceramente, dispenso conhecer os vinhos deste antipático senhor.
Fátima Mendonça
Advogada-Winemaker-Social Media
Fortaleza
CE
14/03/2013 Filma nóis, Galvão!!! É gooooooooooooooooolllllllllllllllll! Degustemos!

E hoje é dia de festa, né Oscar? Parabéns p/você! Sucesso e felicidades sempre!!!

Valeu, Fátima. Muito obrigado! Oscar
Julio Berruezo
Enófilo
Rio de Janeiro
RJ
14/03/2013 Não vou dizer que depois de ler o que você escreveu, não surgiu uma curiosidade em conhecer esses vinhos, mas confesso que o nome "Galvão Bueno" soa muito mal aos meus ouvidos. Tomara que seus vinhos sejam mais autênticos do que ele.
Osmir Avila Abrantes
Engenheiro e enófilo
Cascavel
PR
14/03/2013 Oscar

A descrição olfativa do Bueno Paralelo 31, feita por você, está perfeita e, no paladar, é gosto de quero mais.

Abraços
Valdiney Cesario Ferreira
L'Orangerie
Rio de Janeiro
RJ
14/03/2013 Caro Oscar,

Plagiando Caetano Veloso: "da força da grana que ergue e destroi coisas belas..."

Não me empolga este caminho das celebridades querendo ocupar na marra o espaço dos grandes e tradicionais viti e vinicultores do mundo do vinho. Já me entristecia no exterior. Agora também por aqui onde ainda nem firmamos uma indústria do vinho!!!

Acredito que os Buenos não façam feio e que o Galvão não vai arranhar sua imagem com produtos de má qualidade. Grana para contratar bons técnicos (ate´o "enólogo voador" que sempre está presente onde está o dindin, já colaborou) e força na mídia para divulgar não faltam.

Não me parece que é muito bom para o verdadeiro produtor. Até mesmo porque de um modo geral as celebridades não estão preocupadas com retorno financeiro direto do negócio. O objetivo é outro!

Também não acredito que sejam iniciativas particulares como esta que colocarão o Brasil no cenário mundial como importante player produtor. Conto que os grandes e pequenos produtores brasileiros continuem com seu trabalho sério para seu reconhecimento. Isto é "voo de galinha".

Abs
Roberto Rodrigues
ABS-Rio
Rio de Janeiro
RJ
14/03/2013 Oscar,

Boa matéria, mas faltaram os "belos" preços desses vinhos...

Abs,
RR

Em tempo: Feliz Aniversário! Happy birthday! Buon compleano! Joyeux aniversaire! Vse najboljse!

Roberto, obrigado! Quanto aos preços, foi falha minha. Eu levantei os valores durante o evento e esqueci de publicar. Aí vai:

  • Espumante Bueno Cuvée Prestige Brut = R$64
  • Bueno Bellavista Estate Sauvignon Blanc 2012 = R$52
  • Bueno Bellavista Estate Pinot Noir 2011 =R$52
  • Bueno Paralelo 31 2009 = R$81,33
  • Bueno La Valletta Roberto Cipresso 2009 = R$100 - 105

    Abraços, Oscar
  • Romeu Valadares
    Chef/Jornalista Jornal O Fluminense
    Niterói
    RJ
    14/03/2013 Dispensar? Nada disso, é só convidar... KD os preços, segredo?

    Meu cunhado é dono de equipe na Stockcar, BASSANI RACING (torçam que o Galvãozinho já ganhou muito). Seria legal convidá-lo para um jantar e de repente surge um legitimo Bueno... talvez perca o apetite...

    Bem, cunhado é pra chatear mesmo.

    Romeu, vide comentário acima. Eu havia esquecido de publicar... Abraços, Oscar
    Carlos Toledo
    Empresario, Eng. Agronomo, Adm Empresas
    São Paulo
    SP
    14/03/2013 Ola Oscar

    Cada um, cada um, mas eu jamais critico ou comento sobre vinhos quando estou debaixo de emoções que sempre surgem numa otima viagem, com amigos ou olhando uma paisagem magnifica. Com otima comida e viagem paga juntos, nem pensar.

    Sugiro uma degustacao as cegas para ver se os vinhos sao tudo isso. E mais, duvido que pelos precos desses vinhos havera grande recompra (sem falar na imagem "popular" do dono da marca). Acho que o Maradona tem melhor reputação no Brasil que esse Galvão. Qdo fizer essas degustacoes as cegas, por favor publique-as, sejam quais forem os resultados... Agradecidos.

    Abs.

    Observação: o e-mail utilizado por este comentarista é falso. Muito provavelmente seus dados de identificação também.
    Marcus Ernani
    Leitor
    Rio de Janeiro
    RJ
    14/03/2013 Bem amigos, a historia que sei é outra. Que o Galvão comprou tempos atras terras no sul que se mostraram improprias para o plantio.

    Muito me preocupa ao ver que além da mesma garrafa a ficha técnica tambem são comuns ao Espumante Bueno e ao Miolo Brut Millésime D.O.! E em se tratando de escala industrial tudo é possivel.

    Abs

    Marcus, eu não quis me aprofundar muito nos detalhes para que o texto não saísse muito grande. Mas a vinícola informou que os espumantes seriam a única excessão à política de uvas próprias. O espumante é e continuará sendo elaborado com uvas da Miolo plantadas no Vale dos Vinhedos. Abraços, Oscar
    Rafael Mauaccad
    Enófilo
    São Paulo
    SP
    14/03/2013 Oscar,

    A imagem de Galvão Bueno perante a opinião pública está, agora, desgastada. Pudera, são mais de 30 anos de narrações esportivas na Rede Globo. Quem não expressaria infelizes comentários em tantas horas de exposição, pergunto.

    Após a Copa do Mundo de 2014, deverá deixar a narraçãoo esportiva e o desgaste de imagem passará, restando na memória popular as incríveis emoções narradas, como esta da vitória de Airton Senna "do Brasillll" em Interlagos no ano de 1993.

    Assista e renove as lágrimas, clicando aqui.

    Abraços e mais uma vez Feliz Aniversário, com bons vinhos!
    Carlos Stoever
    Advogado e Enófilo
    Porto Alegre
    RS
    14/03/2013 Amigo Oscar!

    Aqui em Porto Alegre conseguimos o Sauvignon Blanc a R$31,00 e o espumante a R$41,00.

    Acho ótimas opções para tais parâmetros - aliás, o espumante me agradou muito!

    Você, apreciador dos brancos, o que achou destes dois rótulos?

    Abraço!

    Carlos, mesmo sendo apreciador de brancos, desta vez foram os tintos que me conquistaram! Abraços, Oscar
    José Carlos Ferreira Loja
    Dom de Vinho
    Rio de Janeiro
    RJ
    18/03/2013 Oscar, o que houve com o pessoal do Rio de Janeiro contra o Galvão Bueno? Textos violentos contra esta pessoa que só devem conhecer pela televisão.

    Muita calma gente, o assunto é apenas os vinhos e não pessoal.

    Ou o pessoal aqui nestes comentários também querem seus 15 minutos de FAMA?

    Jose Carlos F. Loja
    Deniley Ibarra Valdes
    Sommelier Hotel Othon Palace Copacabana
    Rio de Janeiro
    RJ
    28/03/2013 Muito bom...
    Rogério Serra
    Contador/Auditor - Enófilo
    Rio de Janeiro
    RJ
    17/04/2013 Prezado Oscar,

    O que era uma paixão virou um negócio e eu, particulamente, não tenho nada contra, até porque me simpatizo com o Galvão.

    Acho que o maior adversário do Galvão não é a qualidade. É o preconceito. Gostaria de degustar os vinhos que ele esta produzindo. Aonde os compramos!

    Abraços,
    RS

    Rogério, os vinhos estão à venda no site da Miolo. Mas se você quiser comprar direto em loja, o escritório da Miolo aqui no Rio (3077-0150) poderá te informar. Abraços, Oscar
    Ricardo Leite Hayden
    Médico e enófilo
    Santos
    SP
    05/05/2013 Deixando de lado os comentários sem sentido sobre o Galvão, ele tem dinheiro (méritos e competência) e tem bom gosto. O fato de não ter raízes familiares no mundo do vinho, não o perde para tal, pois o caminho que ele segue é o caminho da coisa apurada. Se assim não fosse, ninguém sem história familiar poderia ingressar no mundo do vinho, seja por modismo ou, no caso dele, com certeza por um hobby sério e amor à coisa, somados ao tino comercial.

    O fato é que o espumante Cuvée é muitooooo bom: seco, crispy, perlage ótima, enfim alto nível.

    Parafraseando: Bem Amigos, se dispam de preconceitos e sentimentos misturados e se atenham aos vinhos que vocês vão mudar de idéia.
    EnoEventos - Oscar Daudt - (21)9636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br