Matérias relacionadas
Restaurantes

Uma dica especialíssima
Muito embora o Carmelo Restaurante exista há quase 3 anos no Catete - e portanto perto de onde moro, em Laranjeiras - eu nunca tinha visitado a casa. E não era por falta de convite, pois um grande amigo, assíduo frequentador do local, vivia insistindo para eu acompanhá-lo. Finalmente, esta semana, lá fui eu, de câmera em punho, conhecer o restaurante. E não conseguia me conformar: "Por que nunca vim antes?"

Embora a Correa Dutra seja uma rua um tanto degradada, o casarão amarelo onde o restaurante está localizado destaca-se pela beleza. Por fora e por dentro. A primeira impressão que me marcou foi o extremo bom gosto da decoração. E no decorrer da conversa, fiquei sabendo que dois dos sócios da casa - Nilo Sérgio Martins e Iva Helena Magalhães - são exatamente um casal de arquitetos especializados em projetos de restaurantes. Só podia ser...

O terceiro sócio é o chef do restaurante, Marcos Alvim, de cujas panelas sairam as delícias que nos foram servidas.

Mangia che te fa bene
A casa abre todos os dias para almoço e jantar. Com a proximidade dos grandes prédios comerciais da Praia do Flamengo e as poucas opções de gastronomia que a região oferece, ao meio-dia o ambiente está sempre lotado. E à noite não é muito diferente, não: estive lá numa terça-feira e o restaurante estava cheio.

O estilo da cozinha é italiano, com o cardápio oferecendo lasagnas, tortellis, capelettis, risotos, bruschettas e polentas. Mas o chef não é chegado a uma ortodoxia e o mais delicioso prato de todos os que experimentei naquela noite misturava a Itália com um ingrediente tipicamente brasileiro: o Peixe Bartholomeu (R$44,90) era um filé de pescada amarela com aspargos sautés sobre uma cama de caju confit. Simplesmente maravilhoso e eu recomendo a todos que forem à casa que não deixem de experimentar.

Outro momento elevado do jantar foi servido logo no início: a Bruschetta Carmelo vem em 3 fatias de sabores diferentes; uma de funghi, a segunda com tomate elegantemente apimentado e a terceira com uma cobertura inesquecível de Brie com damasco. Dá para passar uma noite inteira só repetindo esse prato. Espetacular!

O romântico Ravioli della Passione - feito em casa, é óbvio - era delicadamente recheado com pera e queijo, com um molho de funghi e nozes. É para bombardear qualquer intenção de dieta de Ano Novo, mas vale a pena o pecadilho.

Para beber vinhos
Para um restaurante italiano, a carta de vinhos é surpreendentemente mais focada em Chile e Argentina. Mas o simpático maître-sommelier Valdir Vasconcelos, formado pela ABS, explicou-me que não há como fugir do Novo Mundo pois é disso que o povo gosta e é isso que o povo quer. Há espumantes brasileiros, poucos brancos e duas dezenas de tintos. Há também uma boa variedade de meias-garrafas e até mesmo de garrafinhas de 187ml. A margem aplicada gira em torno de 80%, o que para o Rio de Janeiro o posiciona dentre os restaurantes de margens mais adequadas.

E há um branco e um tinto em taças, muito embora eu recomende passar longe dessas opções, pois são salgadamente precificadas. Não valem a pena...

Muito recentemente, a carta sofreu um upgrade e passou a oferecer uma seção denominada de Seleção Especial, onde aparecem vinhos de mais de 100 reais a garrafa. Essa seção é meio que um saco de gatos, com brancos e tintos tudo junto e misturado, mas com paciência encontram-se belíssimas alternativas por ali.

Com certeza, o melhor dia para se beber um vinho no restaurante é mesmo a quarta-feira, quando os rótulos chilenos e argentinos da carta - incluindo aqueles da Seleção Especial - são oferecidos com um generoso desconto de 25%.

Se você preferir levar o seu próprio vinho, pode fazê-lo mediante o pagamento de uma honestíssima taxa de rolha de 20 reais apenas. E se for associado da ABS, melhor ainda: ficará isento da taxa.

Embora eu só tenha ido uma vez ao restaurante, já virei freguês!

Oscar Daudt
09/01/2013


Serviço:
Carmelo Restaurante
Rua Correa Dutra, 75 - Catete
Rio de Janeiro - RJ
(21)2225-1890
www.carmelorestaurante.com.br
O jantar
Salada Layla
mix de folhas, pera, presunto de Parma, queijo Brie, molho de mostarda com mel
Bruschetta Carmelo
3 sabores, margherita, funghi e queijo brie com damasco
Risoto Milano
arroz arbóreo, queijo parmesão e muzzarela com finas fatias de filé mignon, tomate cereja e manjericão
Risoto Veneza
arroz arbóreo, funghi seco, champignons frescos e escalopinhos de filé mignon
Ravioli della Passione
massa caseira recheada com queijos, pera e molho funghi com nozes
Tagliatta de mignon
filé mignon com pedaços de figos frescos e molho de Vinho do Porto e risoto de parmesão
Peixe Bartholomeu
filé de peixe sobre caju confit, sauté de aspargos frescos com purê de batatas
Bacalhau Cascais
lombo de bacalhau com batatas calabresas salteadas ao alho e óleo, com cebola roxa ao molho de azeite extra-virgem, com tomates cereja, azeitona e salsinha
Tribecca
cheesecake com calda de frutas vermelhas
Os vinhos
Frei João Branco Bairrada 2009
R$66,90
Fattoria Zerbina Torre di Ceparano Sangiovese di Romagna
(este vinho não está na carta do restaurante)
O belo restaurante
O cardápio
Capa Entradas, bruschettas e saladas Massas e risotos
Carnes, peixes e camarões Grelhados Sobremesas e bebidas
A carta de vinhos
Espumantes e brancos Tintos Tintos e Seleção Especial
Comentários
Lilian Boden
Consultora de vinhos
Rio de Janeiro
RJ
09/01/2013 Parabéns pela divulgaçao. O Carmelo ja é muito querido e apreciado no bairro, agora ficará melhor ainda!!!

Também existe no almoço, e quando vou, opções combinadas, saladas, proteínas e massas, que tem uma qualidade excepcional e um preço ótimo. Valeu a dica.
Eduardo Decat
Servidor público
Brasília
DF
10/01/2013 Prezado Oscar, eu nao consigo entender uma carta de vinhos de um restaurante que não possua um vinho espanhol sequer, que além de se aproximarem mais dos vinhos do Novo Mundo, apresentam muitas das vezes excelente custo beneficio!

Outra coisa estranha é a aparente ausência de qualquer vinho de sobremesa na carta.

De qualquer forma a taxa de rolha em 20 reais e a isenção da taxa para associados da ABS é motivo de elogios. Fica registrada a observação.

Abraços.
Eduardo.
Elvis Baltar
Sommelier
Rio de Janeiro
RJ
10/01/2013 Boa recomendação, realmente é um belo restaurante, onde vou várias vezes almoçar, tem um ambiente muito tranquilo e agradável e também gostei do atendimento, pessoas educadas e atenciosas.

A comida é maravilhosa e bem apresentada. Boa dica.

Abraços, meu amigo
Lilian Seldin
Sócia-proprietária da Locanda
Rio de Janeiro
RJ
10/01/2013 Oscar, que ótimo você estar divulgando a gastronomia boa que a maioria das pessoas não conhece. E tem tanto lugar bom a conhecer no Rio.

Valeu esse seu novo trabalho. Eu também conheco o Carmelo e adoro.
Antonio Dowski
Advogado
Rio de Janeiro
RJ
10/01/2013 Boa descoberta! Eu, que sou vizinho, já há muito frequento, especialmente atraído pela combinação de boa cozinha e taxa de rolha muito conveniente, conforme fiquei sabendo por uma reportagem feita logo após o início das atividades deste restaurante.

Parabéns pela reportagem sobre um restaurante que sai do circuito mais conhecido e reúne qualidades muito convidativas. E concordo com você, é dificil manter a linha tendo bruschetta, risotos com filé e massas.

Abraço, Amigo.
Marcelo Carneiro
Advogado e escritor
Resende
RJ
10/01/2013 Oscar, é do lado da Buarque de Macedo, onde temos apartamento. Está na hora de visitá-lo (rssss). Boa dica.
Rodrigo Castello Branco
Enófilo
São Luís
MA
10/01/2013 Oscar,

Apesar de atualmente estar fora do Rio, também resido em Laranjeiras e quando chego fico procurando algum restaurante, pois recuso-me a frequentar o cada vez mais decadente Varandas.

Estive no Rio semana passada e tentei ir ao Carmelo mas infelizmente não consegui localizá-lo. Estou voltando agora em fevereiro e com certeza irei visitar o Carmelo.

Um abraço.
Julio Berruezo
Enófilo
Rio de Janeiro
RJ
10/01/2013 Oscar,

Estive lá hoje e optei pelo Tagliatta de mignon. Muito bom. Não tomei vinho, pois no almoço é complicado.

O lugar é bem simpático e o atendimento foi ótimo. Valeu pela dica.

Abs.
Vera Lucia Carli
Engenheira
Rio de Janeiro
RJ
10/01/2013 Li seu artigo sobre o Carmelo Restaurante, o qual frequento desde sua inauguração e concordo com suas observações a respeito da comida, da bebida, dos preços e da localização.

Só não concordo com a sua afirmação de que a Rua Correa Dutra é um "pouco degradada" e que não há opções de bons restaurantes por perto. Há sim: o Catete, o Flamengo e o Largo do Machado tem bons restaurantes, incluindo aí a Majorica, o Tarantino, o Lamas, o Manoel e Joaquim, o Devassa e muitos outros. Acho que para elogiar um, não precisa desqualificar outros.
Vinicius Toledo
Enófilo
São Paulo
SP
10/01/2013 Oscar, o Fattoria Zerbina que voce degustou não está à venda no Brasil (salvo engano), mas a importadora Vinhocracia está vendendo o ótimo Fattoria Zerbina Ceregio Sangiovese di Romagna Superiore por um preço até razoável!

Abraços
Vinicius Toledo

Vinicius, não fui eu quem levou esse vinho, mas pesquisando no Google, vi que ele está a venda pela Vinci, safra 2001, por 118 reais. Abraços, Oscar
Rafael Mauaccad
Enófilo
São Paulo
SP
10/01/2013 Oscar,

Pela sua matéria e pelos elogios nos comentários, sem dúvida alguma, o Carmelo agrada ao paladar do carioca, pelo estilo "brasiliano" de sua cozinha.

Utiliza ingredientes da culinária italiana, com forte acento brasileiro na concepção e constituição dos pratos, não podendo ser considerado como fusionista, mas sim "come uno pasticcio" como diriam os italianos. Falta a bendita tipicidade!!

Esta culinária "brasiliana" foi a que sucedeu a cozinha cantineira, nas décadas de 70 e 80, aqui em São Paulo, tendo retornado à autenticidade a partir da década de 90, com a chegada dos chefs italianos, e a abertura das importações.

A tipicidade italiana poderá ser alcancada com o apoio da consultoria de um "vero cuoco", que não se negaria a esta tarefa, pela cultura de seu país.

Discordo unilateralmente do sommelier da casa. O brasileiro toma vinhos argentinos e chilenos porque os preços cabem em seu bolso e carece de informação. Hoje, os vinhos brasileiros e do Velho Mundo, principalmente os italianos, estão com preços acessíveis, e são os que melhor harmonizam com a culinária apresentada, tome como exemplo a carta de vinhos do Pomodorino.

Para desanuviar: sugiro para o almoço das 2as-feiras do Carmelo: "Tagliata di manzo, risotto ai fagiolli neri e salccicia, uovo e patate fritte, verdure cotte, insaladina di rucola e pomodoro. Per bere: la caipirina al limone".

Arrivederci.
Anselmo Federico
Engenheiro/enófilo
Rio de Janeiro
RJ
11/01/2013 Oscar, muito boa essa dica. Podemos degustar vinhos às quartas no Carmelo e às terças no Empório Santa Fé, ambas com 25% na carta de vinhos.

Abraços.
Erika Leckerding
Enófila
Rio de Janeiro
RJ
13/01/2013 Excelentes gastronomia e atendimento! Nota 10!
Nadia Lamas
Sommelier
Rio de Janeiro
RJ
14/02/2013 Oscar, suas dicas são sempre ótimas, seja em Lisboa, em NY ou aqui.

Nunca tinha ouvido falar no Carmelo, mas fiz questão de conferir - adorei, e agora estou recomendando aos amigos. Obrigada pelas dicas!

Muito obrigado. Abraços, Oscar
EnoEventos - Oscar Daudt - (21)9636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br