Matérias relacionadas
Restaurantes

Fã de carteirinha
Sou um declarado admirador do chef Frédéric Monnier e minhas experiências com suas criações sempre foram admiráveis. O chef chegou ao Rio de Janeiro há 12 anos e desde então chama nossas areias de lar. E ele é um dos "artistas" do documentário "Por que você partiu?", que conta a história de 5 franceses que deixaram sua pátria para cozinhar em nosso país (vejam abaixo o trailer desse filme).

Por isso, fiquei louco de contente quando soube que o chef iria assumir a cozinha da Brasserie Ameno, localizada perto das Laranjeiras, no Casarão Ameno Resedá. E lá fui eu, logo na primeira semana de inauguração, experimentar a nova casa. Infelizmente, deu tudo errado: o serviço ainda estava em fase de ajustes, Frédéric não bateu ponto naquele dia e o movimento foi muito grande, deixando a cozinha em parafuso. Só me restou o desapontamento.

Mas esta semana, para tirar a má impressão da primeira visita, Frédéric convidou-me para um jantar especial, assim como para fazer as pazes com a casa. Não poderia ter sido melhor e não só o armistício foi assinado, como me tornei o membro número 1 do fã-clube da Brasserie.

Menu-degustação
O chef preparou um menu-degustação de tirar o chapéu! Foram 6 etapas, mas como 2 eram de sobremesa, eu - que sou avesso a doçuras - fiquei parado na quarta estação. E nem seria preciso mais. A apresentação era caprichada, tentadora e sem aqueles exageros equilibristas. Tudo muito bonito e discreto.

A primeira entrada foram rechonchudas vieiras sobre uma cama da alho-poró ao creme. O chef explicou que os moluscos são importados do Canadá, onde pelo jeito eles são bem melhor alimentados do que em nossas praias. Já a cavaquinha grelhada era tenra, saborosa e acompanhada por surpreendentes rolinhos de abobrinha recheados com beringela. Uma combinação campeã!

O primeiro prato principal foi um namorado ao bafo com molho de moqueca. Embora a descrição possa assustar um pouco, não havia motivo para temores pois a elegância da cozinha de Frédéric não permitiria a exuberância baiana nesse prato e a moqueca era apenas uma discreta referência ao sabor que acompanhava um peixe macio, branquinho e delicioso. E, por fim, um abuso de gostosura em uma concepção bem simples: as costelas de cordeiro com musseline de batata foram o ponto alto de um jantar que já estava posicionado no topo.

Na verdade, o menu-degustação não aparece no cardápio (consulte abaixo) mas o chef explicou que, ele estando por lá - o que acontece sempre no jantar, com raras exceções - os clientes podem pedí-lo. Não há um preço fixo e o valor final dependerá da quantidade de etapas e dos ingredientes empregados, mas costuma ficar entre 150 e 250 reais.

A carta de vinhos
Para os enófilos, há uma boa quantidade de rótulos para escolher - mais de 60 - e nada menos do que 60% deles encontram-se abaixo de 100 reais. Há inclusive 16 vinhos que custam menos do que 70 reais.

Para quem quer beber menos, há ainda 10 rótulos em meia-garrafa, 2 espumantes "baby" e 6 opções de vinhos em taça, o que permite uma boa margem de manobra.

Para aqueles que preferem levar seu próprio vinho, a política de rolha da Brasserie pede apenas que o cliente adquira um vinho da carta, seja para beber por lá mesmo, seja para levar para casa.

Oscar Daudt
07/09/2013


Serviço:
Brasserie Ameno
Rua Pedro Américo, 277
Catete - Rio de Janeiro
Fone: (21)3495-2662
Horário: todos os dias de 12 às 24 horas
O jantar-degustação
Vieiras com alho-poró ao creme fresco Cavaquinha grelhada e abobrinha recheada com berinjela Namorado ao bafo com molho de moqueca e darphin de quinoa
Costeleta de cordeiro com musseline de batata Crocante de banana com laranja e coulis de frutas vermelhas Mousse de paçoca e sorvete de framboesa
Os vinhos
(levados por nós)
Léon Beyer Riesling 2007 Mauro 2006
O cardápio
Petiscos, entradas e pratos principais Grelhados, sobremesas e bebidas Menu executivo
Trailer do filme "Por que você partiu?", com Frédéric Monnier
Comentários
Rafael Mauaccad
Enófilo
São Paulo
SP
09/09/2013 Oscar,

A ausência notória no filme é a de Claude Troisgros, um dos pioneiros a aportar no Brasil nos anos 80, junto com Laurent Suaudeau. Claude foi insistentemente convidado, mas recusou.

Encontrei em entrevista concedida à jornalista Janaína Fidalgo da Folha de São Paulo as razões do chef à questão: "Por que você partiu?"

Folha - Por pertencer a uma família de chefs e ser filho do Pierre Troisgros, você se sente cobrado?

Troisgros - É difícil fazer um caminho, criar seu próprio nome. Vi meu pai sofrer com isso também porque ele era o filho do Jean-Baptiste. Sofri com isso. De repente, pode ser uma das razões pelas quais eu vim parar no Brasil, para fugir desta responsabilidade, ou para criar meu caminho.

O filme trata basicamente da relação pai e filho, minha avaliação: Muito Bom!

Abraços.
Anselmo Federico
Enófilo
São Paulo
SP
09/09/2013 Grande Oscar,

Minha 1ª experiência na Brasserie Ameno não foi nada agradável, mas todos merecem uma 2ª chance. Darei em breve, pois o menu-degustação, pelos comentarios e fotos, é imperdível (Vieiras e Cavaquinhas).

Só fiquei na dúvida se eles cobram taxa de rolha?

Abraços.

Anselmo, eu sei que sua experiência não foi muito boa, visto estarmos juntos naquele dia... :) O restaurante não cobra taxa de rolha desde que você adquira um dos vinhos da carta - qualquer vinho - para consumir ou para levar para casa. Acho uma medida bem simpática! Abraços, Oscar
Paulo Bouzan
Creperia Cliché
Rio de Janeiro
RJ
11/03/2015 Frédéric já é um carioca de coração, com certeza. Sorte do Rio ele aqui se estabelecer e nos brindar com seu talento.

Obrigado, Fréd!
EnoEventos - Oscar Daudt - (21)9636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br