Matérias relacionadas
Restaurantes

Estranhos hábitos
Neste Rio de Janeiro, com sensações térmicas de 51ºC, tudo o que a gente puder fazer para se refrescar é válido.

Surpreendentemente, em relação ao vinho, não é bem assim que o carioca e o brasileiro em geral se comportam. Os produtores europeus que nos visitam ficam verdadeiramente espantados ao saber que o consumo de vinhos tintos representa 80% ou mais aqui nos trópicos. É um verdadeiro contra-senso. Eu, um voraz consumidor de vinhos brancos, bem que faço a minha parte, mas as estatísticas não saem do lugar.

Fiquei, portanto, entusiasmado quando Paulo Nicolay (foto à esquerda) me convidou para conhecer a nova carta que ele acaba de assinar no badalado restaurante Sushi Leblon, privilegiando os vinhos brancos. Esta é a primeira carta que encontro em minha vida em que a variedade de brancos é maior do que a de tintos. É um lance inovador, mas arriscado, pois a maior parte dos consumidores não está acostumada a beber vinhos brancos e o restaurante terá de enfrentar a resistência de gente que não se avexa em declarar que "vinho branco não é vinho!".

Eu torço para que dê certo e espero que daqui a 10 anos, possa ouvir conversas assim: "Você lembra do tempo em que as cartas cariocas ofereciam mais tintos do que brancos? Pois é, tudo começou a mudar no Sushi Leblon." Não custa sonhar um pouco...

Carta didática
Vejam só a distribuição da carta: são 6 espumantes, 2 rosés, 19 brancos e apenas 12 tintos. E estes últimos aparecem em duas seções: os vinhos leves e os vinhos encorpados. Só erra quem quiser!

A carta é enxuta, bem focada e didática, perfeitamente adequada aos delicados pratos do restaurante, e exibe com precisão o DNA de seu autor, que elabora as cartas mais eficientes do Rio de Janeiro.

Examinar o elenco dos 19 vinhos brancos é como fazer uma viagem de volta ao mundo, pois estão presentes nada menos do que 12 países produtores, incluindo origens que dificilmente são listadas por aí, como Hungria, Áustria, Eslovênia, Grécia e Nova Zelândia.

E para que os clientes possam mais facilmente se acostumar com as novidades, dos 39 rótulos da carta, cerca de 1/3 deles estão disponíveis em taças. Só não experimenta quem não quer...

Japa dos deuses
Para harmonizar com a prova de alguns dos novos vinhos, Paulo escolheu novidades do cardápio e conseguiu transformar a noite em uma experiência memorável.

Não teve um só momento em que a peteca tenha caído, mas não posso deixar de destacar algumas experiências que a jogaram para o alto, como se fosse um saque Jornada nas Estrelas. O Atum Semi-grelhado com Foie Gras - o melhor da noite! - foi uma combinação dos deuses. A fatia de maçã, cuja crocância contrastava com a maciez geral, foi a cerejinha! E para seduzir o prato, um Indomita Gran Reserva Sauvignon Blanc 2013 (R$79).

A Dupla de Sushi de Peixe Manteiga e Ovo de Codorna vinha com azeite trufado para surpreender o paladar, mas não chegou a surpreender o vinho que a escortava, o original Dettori Renosu NV (R$125), um exótico biodinâmico, de grande estrutura, que segurou a barra com galhardia. Um outro momento espetacular, que mereceu um bis, atendendo a pedidos unânimes.

Imperdível, também, foi o Combinado de Duplas Especiais, uma cornucópia de sabores diferenciados e deliciosos (polvo, enguia, salmão, vieira e outras coisas intraduzíveis) que teve a companhia de um vinho húngaro, o Gere Villány 2011 (R$87), da casta Olaszrizling - nossa conhecida Riesling Itálico - cheio de acidez para segurar o rojão.

Oscar Daudt
11/01/2014


Serviço:
Sushi Leblon
Rua Dias Ferreira, 256
Leblon
Rio de Janeiro - RJ
Reservas: (21)2512-7830
Os vinhos
Espumante Cattacini Extra-Brut Rosé
Origem: Brasil
Preço: R$76
Indomita Gran Reserva Sauvignon Blanc 2013
Origem: Chile
Preço: R$79
Clos Cattacini Gewurztraminer 2012
Origem: Brasil
Preço: R$85
Chauvot-Labaume Pouilly-Fuissé Le Clos 2012
Origem: França
Preço: R$140
Dettori Renosu Bianco NV
Origem: Itália
Preço: R$125
Gere Villány Olaszrizling 2011
Origem: Hungria
Preço: R$87
Guy Saget Chinon 2011
Origem: França
Preço: R$120
Ramizières Cuvée Particulière Crozes-Hermitage 2011
Origem: França
Preço: R$140
As novidades do cardápio
Ussuzukuri de Barriga de Salmão
Finíssimas fatias de barriga de salmão marinadas em sake e limão, servidas com molho ponzo
Atum Semi-grelhado com Foie Gras
Molho wasabe e missô, brunoise de maçã verde
Batera de salmão
Salmão com chantilly de wasabe sobre prensado de shari com furikaki
Crispy Rice de Atum
Bolinhos de shari fritos com tartar de atum levemente apimentado
Dupla de Sushi de Peixe Manteiga e Ovo de Codorna Trufado Combinado de Duplas Especiais
Salmão siciliano, magurô zuke, vieira, polvo com flor de sal, namorado especial, salmão crunch e enguia
Sashimi de Mignon
Lâminas de mignon, abobrinha e shitake com molho toban-yake
Tempurá de Legumes
A carta de vinhos

Comentários
Carlos Stoever
Advogado e enófilo
Porto Alegre
RS
13/01/2014 Impressão minha ou os preços também estão bastante atrativos?

Forte abraço!

Pois é, Carlos, eu também fiquei positivamente surpreso com os preços dos vinhos. E mais ainda se a gente considerar que o Sushi Leblon é um dos restaurantes mais badalados da cidade, localizado na rua mais valorizada para restaurantes e é meca de todas as celebridades internacionais que visitam o Rio de Janeiro. Abraços, Oscar
Eugênio Oliveira
Enófilo
Brasília
DF
13/01/2014 Realmente a carta, como você mesmo disse, não deixa erro. Pega na mão do cliente e leva ao lugar certo, só erra se quiser.

Tomara que se torne tendência esse aumento de vinhos brancos em cartas, principalmente em restaurantes em que o peixe é o carro-chefe.

Pois é, Eugênio, para os apreciadores de vinhos brancos, como nós, é um bom começo! Abraços, Oscar
Luiz Carlos Cattacini Gelli
Empresário
Rio de Janeiro
RJ
13/01/2014 Oscar parabéns pela bela matéria. Gostaria de tê-la escrito, já que concordo com tudo que você escreveu.

Estive participando desta mesma experiência a convite de duas das sócias do Sushi Leblon e fiquei encantado.

A Luciana Fróes escreveu um texto, logo a seguir, também tão envolvente quanto o seu, que acabei não resistindo e voltei ao templo da gastronomia japonesa para um bis.

Com as suas palavras já me vejo, novamente, na fila de espera aguardando a vez para mais uma vivência e, no caso, globalizada. É difícil encontrar no planeta uma experiência gastronômica como esta!

Da minha parte, me cabe também agradecer a você que sempre apoiou o vinho nacional e a Cattacini, ao consultor Paulo Nicolay, que teve a coragem e a ousadia de colocar dois vinhos nacionais entre néctares internacionais, comprovando que por aqui já encontramos coisas interessantes, e às sócias do Sushi Leblon por apoiar esta iniciativa. Muito obrigado.

Abraços
Gelli
Hildete N Damasceno
Enofila-ABS Rio
Rio de Janeiro
RJ
13/01/2014 Feliz com a coragem deste estabelecimento. Que outros sigam o exemplo.

Clima quente e frutos do mar pedem vinhos refrescantes. Bela reportagem.
Rafael Mauaccad
Enofilo
São Paulo
SP
13/01/2014 Oscar,

Nesta carta de vinhos há uma pérola escondida dentro de uma concha: descubra inebriado os aromas e sabores do Domaine Race Chablis 1er Cru Montmains 2010. Décadence élégante!!

Une accolade.
Fabio Massad
Enofilo
Rio de Janeiro
RJ
13/01/2014 Caro Oscar, ótima matéria!

Iniciativa como essa do amigo Paulo Nicolay incentiva e ajuda o cliente a entender e se apaixonar pelos brancos. Nunca entendi como um restaurante especializado em frutos do mar pode compor sua carta com mais vinhos tintos do que brancos e roses juntos. Só no Brasil!

Precisamos incentivar cada vez mais as degustações exclusivamente de Espumantes, Vinhos Brancos e Roses no verão. Já está na hora do brasileiro se permitir e degustar mais vinhos Brancos.

Abraços.
Vinicius Toledo
Enofilo
São Paulo
SP
15/01/2014 Prezado Oscar,

Sou do time dos 80%, daqueles que preferem os tintos, mas daí a dizer que vinho branco não é vinho... com licença... é um verdadeiro absurdo!

Realmente é difícil fugir deles neste verão que estamos atravessando, mas ainda assim prefiro os brancos espumantes e acabo deixando os rosés um pouco de lado!

Só gostaria de perguntar se alguns desses vinhos, presentes na matéria, são trazidos para o Brasil pelos importadores e quais seriam eles? A propósito, dos vinhos da carta, um que gosto muito é o Zeltinger Schlosberg Selbach-Oster Riesling Qba Trocken, excelente!

Abraços
Vinicius Toledo

Vinicius, todos os vinhos da carta são de importadoras. Dando uma conferida rápida, vejo que a maioria é da Decanter, mas tem alguns da Mistral e da Casa Flora. Fora os que eu não identifiquei de memória. Abraços, Oscar
Carlos Carvalho
Enofilo
São Paulo
SP
29/03/2014 Prezado Oscar,

Primeiro de tudo, parabéns pela matéria!!!

Somente comentar que os vinhos abaixo, são trazidos pela importadora Alafia Brasil:

1) Riesling Tradition 2011
2) Kuentz-Bas Muscat Collection 2010
3) Kuentz-Bas Pinot Noir Tradition 2010

Grande abraço,
Carlos Carvalho
EnoEventos - Oscar Daudt - (21)99636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br