Matérias relacionadas
Restaurantes

Contando nos dedos
Poucas vezes eu me lembro de ter ficado tão entusiasmado ao conhecer um novo restaurante no Rio de Janeiro. Posso contar nos dedos - e de uma mão só - as oportunidades em que tive essa sensação de alegria e satisfação por comer tão bem em um lugar com preços - e práticas - tão honestos!

Há bastante tempo ouço falar positivamente do L'Atelier du Cuisinier, pequeno restaurante do chefe francês David Jobert localizado na Teófilo Otoni. Mas como a casa fica no centro da cidade e só abre para almoço, nunca tive a chance de visitá-la.

Portanto, fiquei bastante curioso quando me contaram que o chefe estava abrindo uma nova casa em Ipanema, Le Bistrôt du Cuisinier, funcionando para o jantar. O novo restaurante mal abriu há 2 semanas e eu já fui lá conferir.

Como na França
A nova casa é quase um pedaço da França em Ipanema. Aconchegante, de bom gosto e com boa iluminação, senta apenas 24 pessoas. Copiando os costumes franceses, o garçom serve, sem nem perguntar, água corrente. É coisa de primeiro mundo!

Há opções à la carte, mas o melhor mesmo é optar por uma das diversas "formules", que existem para todos as fomes e todos os bolsos:

  • Entrada + prato quente: R$89
  • Prato quente + sobremesa: R$82
  • Só prato quente: R$66
  • Entrada + prato quente + sobremesa: R$110
  • Formule du Chef (7 etapas surpresas): R$160

    Optamos pela primeira (entrada + prato quente) e os pratos, bem servidos, precedidos pelo couvert e por um amuse-bouche, foram mais do que suficientes para nos deixar prá lá de satisfeitos.

    A gastronomia do chef é espetacular. Os pratos são da culinária clássica, sem firulas, sem decoração, sem espumas, igualzinho aos bistrôs parisienses. Mas com técnica apurada, são absolutamente saborosos, bem temperados, frescos e, eu diria mesmo, perfeitos. Um grande prazer!

    Carta de vinhos
    Meu entusiasmo com a nova casa aconteceu apesar de a carta de vinhos não ser das mais elogiáveis. Mesmo o restaurante sendo um legítimo bistrô francês, a lista não tem foco e oferece vinhos do Chile, Argentina, Uruguai, Portugal, Espanha, Itália e... até da França.

    A sessão dos espumantes é a mais crítica: há um Prosecco brasileiro (R$85) e depois salta para 2 Champagnes campeões da obviedade: Moët & Chandon e Veuve Clicquot (R$370 e R$390 respectivamente). Só isso! Não há mais nada entre um e outros. Perguntei se havia espumante em taça e a única opção que a casa tinha para me oferecer era uma meia-garrafa de Sauvignon Blanc argentino. Pode isso, Arnaldo?

    A carta é mal-feita e traz erros de grafia (quem quer um Tana do Uruguai?) e alguns vinhos sem a especificação do produtor. Há, portanto, muito espaço para melhoras e o paciente maître, receptivo às críticas, prometeu que vai corrigir as falhas em breve.

    Necessidade premente
    Não obstante, eu "necessito" voltar urgentemente. Há muitos outros pratos que eu quero conhecer e, na próxima vez, vou me preparar para pedir a fórmula de 7 etapas. Mas para garantir, vou levar o vinho de casa e pagar a taxa de rolha (R$50).

    Oscar Daudt
    13/12/2015


    Serviço:
    Le Bistrôt du Cuisinier
    Rua Henrique Dumont, 71
    Ipanema
    Jantar de terça a sábado, almoço no domingo
    Tel: (21)2540-4830 (aconselho fazer reserva)
  • O jantar
    Sopa de batata roxa Couvert (pão com manteiga de Roquefort) Steak tartare temperado com mostarda antiga
    Cassolete de escargots com champignons frescos Fricassé de vitela ao molho de funghi com polenta cremosa Peito de pato ao molho de pimenta verde e batata sauté
     
    Comentários
    EnoEventos - Oscar Daudt - (21)99636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br