"LF""LF""LF""LF""LF"


Matérias relacionadas
Brasil
Colunistas
 
Merlot: uma Uva Emblemática
Os leitores que acompanharam minha última matéria sobre a Fenavinho e que não puderam estar presentes, poderão conferir as surpresas que esse evento trouxe aos visitantes. De forma breve, apresento meu olhar como Turismóloga sobre o Enoturismo na Fenavinho, bem como possíveis sugestões para a próxima edição, em 2013.

A variedade Merlot vem se adaptando facilmente ao terroir brasileiro, obtendo os melhores resultados e garantindo vinhos com tipicidade. Por estes motivos, a Merlot foi escolhida como a uva emblemática brasileira e, em especial, no Vale dos Vinhedos, na Serra Gaúcha, nosso mais importante destino vitivinícola.

No Vale dos Vinhedos, é notório o destaque dessa casta, já que quase todas as vinícolas localizadas no roteiro (mais de 30, no momento) cultivam e elaboram vinhos com essa casta. Além das vinícolas, o Villa Europa Hotel & Spa do Vinho Caudalie, escolheu a uva Merlot para seu VE 2005, o vinho exclusivo do hotel. E, recentemente, foi eleito o melhor vinho tinto nacional na Expovinis 2011, novamente em cena, o Merlot Pizzato DNA 99 2005.

Descrevo alguns Merlots que degustei na Fenavinho 2011 e que me encantaram:

  • Vinícola Dom Eliziario: localizada no Vale dos Vinhedos, nos brindou com excelentes Merlots. Inicio com o Merlot 2005, o que me chamou muita atenção especialmentemente pelo fato de os vinhos dessa casta, de modo geral, não terem estrutura para comportar um decanter. O Merlot 2007, 3 meses em barricas de carvalho francês, pude degustar com e sem decanter. Confesso que gostei mais do vinho no decanter. Mais fácil, muito mais aromas no nariz, com retrogosto intenso e bem tânico. Essa vinícola, infelizmente, ainda não oferece estrutura para recebimento de turistas. As obras para o varejo e atendimento turístico estão programadas para dezembro de 2011.

  • Bodega Copetti & Czarnobay: localizada em Encruzilhada do Sul, apresentou o espumante Chardonnay Brut, mas o destaque foi novamente o Merlot Alto das Figueiras 2009, 13% de álcool, um vinho bem encorpado por se tratar de um Merlot. No olfato, destacam-se um frutado intenso, de frutas vermelhas e negras maduras como cereja e amora, muito bem equilibrado com notas de carvalho, como baunilha e tostado e um toque de café e chocolate. Degustando este vinho sem decanter, percebe-se bem seus 13% de álcool. Com a ajuda do decanter, o vinho mudou completamente, principalmente no nariz. Segundo Sr. Antonio Czarnobay, enólogo e sócio proprietário, este Merlot é um vinho estruturado, com uma boa aceitação, se deixado alguns minutos no decanter. A Bodega Copetti & Czarnobay também não possui, no momento, estrutura para receber o visitante. Estão programadas para 2012 as instalações para atendimento turístico em Encruzilhada do Sul. Porém, os vinhos podem ser encontrados em alguns restaurantes e casas especializadas em vinho em Encruzilhada do Sul, Porto Alegre, Lajeado, Novo Hamburgo e São Leopoldo.

    Outros vinhos em destaque na Fenavinho 2011
  • A Casa Valduga apresentou um corte inusitado Duetto Shiraz - Pinot Noir 2010, com aromas de muita fruta madura (R$28,00 a garrafa);

  • A Vinícola Viapiana, localizada em Flores da Cunha, Rio Grande do Sul, com seu Corte V, com 60% Cabernet Sauvignon e 40% Merlot, 12,5% de álcool, um vinho jovem, com aromas de média intensidade e sem presença de madeira. Na boca com taninos jovens e macios.


    Atrações para enoturistas
    Ficam aqui alguns registros do que se pode encontrar numa Festa do Vinho e que, com certeza, irão deixar os enoturistas com gostinho de querer conhecer e conferir tudo isto.

  • Em destaque, os jantares harmonizados por chefs especializados, com um toque requintado no ambiente e nos pratos elaborados;

  • Outra proposta mais simples, foi o espaço Vila Típica, com a venda de produtos coloniais, de vinho e suco de uva, onde o visitante desfrutava de um bom vinho, pão caseiro feito na hora, embutidos, geléias, tudo num ambiente aconchegante e simples, lembrando as antigas festas na colônia;

  • Exposição Janelas do Olhar, revelando os encantos das paisagens culturais do interior de Bento Gonçalves através de fotografias, permitindo aos visitantes "interagir" com a obra fotográfica exposta;

  • Enoteca, uma exposição de vinhos com rótulo de diversas vinícolas, separadas por regiões produtoras brasileiras. Uma maneira ilustrativa de o visitante conhecer as vinícolas presentes em cada região vitivinícola brasileira;

  • O workshop O mundo do turismo e do vinho, com foco gastronômico e enoturístico para visitantes, estudantes, representantes do poder público regional e estadual. Infelizmente, nesta edição, a presença da cadeia vinícola e turística local (proprietários e funcionários de vinícolas, empresas turísticas e representantes de associações) foi fraca.

    A data do evento
    Infelizmente, a escolha da data do evento, 29 de abril a 8 de maio 2011, não foi adequada! Vários são os motivos. Muito perto da Expovinis que encerrou no dia 28 de abril, trazendo transtornos e mais gastos aos expositores que não puderam aproveitar o mesmo estande utilizado na Expovinis para a Fenavinho. Também ficou muito perto de duas datas comemorativas importantes - a Páscoa e o Dia das Mães - quando muitas famílias viajaram para visitar parentes. E outro motivo de pouca visitação e venda de vinho foi, principalmente, o fato de o primeiro final de semana do evento iniciar num final de mês.

    Minhas sugestões, como Turismóloga, são duas. Permanecer com a data do evento no inverno, devido ser a estação do ano onde se tem o hábito de beber mais vinhos e onde a bebida apetece melhor em relação ao nosso clima frio. Como a alta temporada na Serra é tanto no inverno (meses de junho e julho) e no verão (janeiro e fevereiro) devem-se criar atrativos que chamem a atenção dos turistas em épocas de baixa temporada.

    Portanto, a sugestão seria levar em consideração as datas dos demais eventos importantes do setor vinícola e procurar trazer turistas para a região da Serra em épocas que não coincidem com feriados prolongados ou datas comemorativas e nem em período de férias escolares, onde geralmente se tem uma demanda muito grande de turistas viajando em família.

    Para finalizar, quero dizer que este é um evento que sempre deve ser visitado e que nossas fronteiras vitivinícolas estão se expandindo e, com isto, oferecendo mais oportunidades ao enoturista.

    Aproveite e deguste nossos Merlots!
  •  
    Comentários
    Marcela Pastório
    Vinícola Marco Luigi
    Bento Gonçalves
    RS
    24/05/2011 Olá Joice, gostei muito da sua matéria.

    Tens razão quanto a data que foi escolhida para a Fenavinho, acredito que vão avaliar esta questão para a próxima edição.

    Quanto aos Merlots, cada dia estão melhores. Gostaria que viesse até a Vinícola para poder provar nosso Merlot que inclusive foi um dos escolhidos como os tintos que mais impressionaram pelos Jornalistas e Blogueiros que estiveram na Vinícola no Projeto Imagem promovido pelo Ibravin.

    Parabéns pela matéria.
    Abraços.
    Joice Lavandoski
    Colunista enoturismo
    Caxias do Sul
    RS
    24/05/2011 Prezada Marcela

    Que bom que concorda comigo. É com prazer que aceito o convite para conferir as instalações e os vinhos da Marco Luigi.

    Obrigada.
    Evelyne Freistedt Copetti
    Sócia-proprietária Bodega Copetti & Czarnobay
    Encruzilhada do Sul
    RS
    25/05/2011 Joice, tudo bem?

    Primeiramente, gostaria de lhe parabenizar pela proposta do site, contendo inúmeras informações acerca do mundo dos vinhos. Cada dia mais aumenta o número de apreciadores e conhecedores da bebida.

    Segundo, quero agradecer-lhe pela matéria publicada sobre nossa vinícola, mais precisamente sobre nosso vinho fino tinto seco Merlot Alto das Figueiras. Estamos à disposição.

    Forte abraço,
    Evelyne Copetti
    Joice Lavandoski
    Colunista enoturismo
    Caxias do Sul
    RS
    25/05/2011 Evelyne,

    Que bom que gostaste! Me mantenha informada sobre os lançamentos da vinícola, por favor.

    Abraço
    Carlos Teles
    Enófilo
    Niterói
    RJ
    25/05/2011 Dueto Shiraz - Pinot Noir. Este dueto me remete a um duelo onde os adversários acertam a bala no coração um do outro, no momento exato. Morte certa. Realmente Joice, o corte é inusitado.

    Sds
    Carlos Teles
    Eduardo Seixas
    Enófilo
    Rio de Janeiro
    RJ
    06/06/2011 Cara Joice,

    O corte do Duetto é inusitado sim, mas o resultado é excelente. Já degustei e adorei!

    Parabéns pela matéria.
    EnoEventos - Oscar Daudt - (21)9636-8643 - odaudt@enoeventos.com.br